NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo

Venda da BlackBerry pode render 55.6 milhões de dólares a actual CEO

sábado, 17 agosto, 2013 /
Venda da BlackBerry pode render 55.6 milhões de dólares a actual CEO

Thorsten Heins, director-executivo da BlackBerry, tem 55.6 milhões de motivos para não ter que se preocupar muito com uma potencial aquisição da empresa, ou até em ser despedido por novos potenciais detentores da BlackBerry

Foi preciso chegar a 2013, lançar uma nova geração do seu sistema operativo e ainda dois smartphones - que em alguns mercados conseguiram inclusive superar concorrentes Android de peso - para que as incertezas em relação ao futuro da BlackBerry se intensificassem ainda mais. De facto, por mais que a gigante canadiana tenha tentado inverter a sua má situação no mercado, os resultados acabaram por ser o extremo oposto das suas expectativas.

Mas há quem definitivamente não saia a perder no meio de tanta incerteza: o director-executivo da BlackBerry, Thorsten Heins. De acordo com as informações avançadas pela Bloomberg, o facto de que a sua continuidade na empresa possa ser afectada por uma potencial aquisição poderia beneficiá-lo em 55.6 milhões de dólares.

De acordo com um plano aprovado pela empresa e os seus investidores, Heins tem direito a receber 55.6 milhões de dólares caso seja afastado da sua actual posição por novos detentores da BlackBerry. Os números dizem respeito a salários, incentivos fiscais e outras regalias do actual CEO da empresa.

Estas informações surgem numa altura em que o futuro da empresa está longe de estar assegurado, e a possibilidade de ser vendida está colocada em cima da mesa - uma possibilidade que permitiu aumentar o valor das suas acções em 19%.

Por outras palavras, Heins parece contar com 55.6 milhões de razões para querer vender a empresa, especialmente se olharmos para o seu insucesso em mercados-chave como o norte-americano, onde a empresa tem vindo a perder quota de mercado para rivais como o Windows Phone. Vender a BlackBerry, contudo, poderá estar longe de ser uma tarefa fácil de concretizar: a empresa tem-se deparado com inúmeras dificuldades em atrair potenciais compradores (embora a Lenovo se tenha manifestado interessada), mesmo apesar de possuir um portefólio de patentes avaliado em valores superiores a 5 mil milhões de dólares.

Venda da BlackBerry pode render 55.6 milhões de dólares a actual CEO

4,846