NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Wi-Fi não pára nem com a recessão económica.

Wi-Fi não pára nem com a recessão económica.

terça, 10 fevereiro, 2009 /
Registem-se as boas notícias no campo da tecnologia Wi-Fi. Novas estatísticas publicadas em Janeiro pelo Wi-Fi Alliance revelam que as vendas chipset cresceram 26% em 2008. Isso é apenas metade do que as registradas em 2007, antes de abrandamento da economia, mas mostra que a rede Wi-Fi permanece forte no mercado. "A tendência hoje é que exista Wi-Fi em todos os lugares e é o que as pessoas esperam quando compram um novo telemóvel ou Smarphone", afirma Kelly Davis-Felner, director de marketing da Aliança. Cada vez mais os fabricantes estão a incluir Wi-Fi em novos produtos e dispositivos móveis, tais como smartphones e netbooks. A Aliança disse foram lançados em 2008, 56 milhões de telemóveis com capacidade Wi-Fi, um aumento de 52% desde 2007. "Existe recessão, mas a tecnologia continua a crescer a um bom ritmo", disse Davis-Felner. As boas notícias vêm com a necessidade de mobilidade tanto por parte das empresas como dos consumidores com o objectivo associar um certo estilo de vida pessoal à vida profissional. Alguns fabricantes e vendedores de dispositivos móveis estão a utilizar a tecnologia Wi-fi como um produto diferenciador no mercado para agarrar mais utilizadores. Um deles é Research in Motion. O fabricante da Smartphone lançou recentemente o seu segundo Wi-Fi BlackBerry, o Curve 8320. Redes Wi-Fi e dispositivos com essa capacidade, estão a expandir-se rapidamente. No passado mês de Outubro, a sétima edição da Pesquisa Wireless Security revelou um crescimento dramático das redes sem fios, em Nova Iorque, Londres e Paris. Mais de 5000 produtos foram designados como Wi-Fi CERTIFIED pelo Wi-Fi Alliance, e mais de 500 produtos de consumidores apresentaram características para certificação, de acordo com a avaliação do Grupo. "Preocupações com a segurança com os programas já não se justificam, dada a certificação e a segurança Wi-Fi", disse Davis-Felner. Uma sondagem recente da WFA, conduzida pela Wakefield Research, indica que 2009 será um ano ainda mais promissor, com maior acesso Wi-Fi. Dos inquiridos, mais de metade disse que seria improvável comprarem um dispositivo no futuro que não oferecesse acesso Wi-Fi. Uma boa maioria, 88 por cento, informou que muito em breve, todos os dispositivos de alta tecnologia, eles próprios, terão Wi-Fi. "Estes resultados demonstram como a conectividade se tornou essencial na nossa vida diária", disse Davis-Felner à imprensa numa declaração sobre os resultados eleitorais. "Mesmo quando o dinheiro é escasso, os consumidores estão dispostos a fazer sacrifícios de modo a permanecer em contato com amigos, família e ao mesmo tempo ser produtivo no trabalho.
3,288