NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Redes fixas de alta velocidade com 292 mil clientes em 2010

Redes fixas de alta velocidade com 292 mil clientes em 2010

quarta-feira, 23 fevereiro, 2011 /
Redes fixas de alta velocidade com 292 mil clientes em 2010

Em Portugal, no final do quarto de trimestre de 2010, o número de alojamentos cablados com fibra óptica por todos os operadores ascendia a 1,47 milhões

As redes fixas de nova geração que disponibilizam acessos de alta velocidade são, actualmente, suportadas em fibra óptica (FTTH/FTTB) e em redes de distribuição de TV por cabo que recorram ao standard EuroDOCSIS 3.0.

Em Portugal, no final do quarto de trimestre de 2010, o número de alojamentos cablados com fibra óptica (FTTH/B) por todos os operadores ascendia a 1,47 milhões. O número de alojamentos com acessos suportados em EuroDOCSIS 3.0 - standard utilizado pelos operadores de TV por cabo para prestarem de serviços de alta velocidade totalizava 3,8 milhões, sendo cerca de 2,6 vezes superior ao número de alojamentos cablados com fibra óptica (FTTH/B).

De referir que a oferta do serviço por mais do que um operador na mesma região implica a possibilidade de múltipla cablagem de um mesmo alojamento. Tendo em conta este efeito, estima-se que cerca de 59% dos alojamentos familiares clássicos tenham acesso a pelo menos uma rede de alta velocidade.

Os acessos de alta velocidade concentram-se nas Regiões de Lisboa e do Norte. O número de clientes residenciais que utilizam serviços suportados em acessos de alta velocidade (FTTH e EuroDOCSIS 3.0 ou equivalente) é de 278 mil.

Os clientes não residenciais atingiam 14,4 mil no final de Dezembro. O número de acessos associados a ofertas de FTTH/B e EuroDOCSIS 3.0 com velocidades de download superiores a 30 Mbps é de cerca de 181 mil. A penetração dos clientes residenciais em termos de alojamentos familiares clássicos é de 4,9 por 100 alojamentos.

É na região de Lisboa que a penetração é mais elevada (10,9 por 100 alojamentos).

Fonte: ANACOM

2,527