NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Redes de Nova Geração - Mariano Gago diz que Portugal está na linha da frente

Redes de Nova Geração - Mariano Gago diz que Portugal está na linha da frente

quarta-feira, 15 julho, 2009 /
Redes de Nova Geração - Mariano Gago diz que Portugal está na linha da frente O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior considerou hoje que "Portugal é um dos países mais avançados na instalação de Redes de Nova Geração (RNG)" e que as universidades portuguesas estão na linha da frente em termos de ligação à Internet. "Portugal é um dos países, senão o país mais avançado no ponto de vista de instalação de Redes de Nova Geração", afirmou José Mariano Gago, em declarações à agência Lusa. O governante falava, em Évora, à margem da sessão de apresentação das "Redes de Nova Geração ao Serviço do Desenvolvimento Regional", promovida pela Associação de Municípios do Distrito de Évora. Segundo Mariano Gago, os campus universitários e politécnicos do país estão equipados com "a rede mais avançada que existe em toda a Europa, sendo que a rede europeia é a mais avançada no mundo inteiro". "A maioria dos estudantes portugueses não tem noção que, ao entrar num campus universitário e ter acesso automático e gratuito por Wi-Fi à Internet, isto não acontece na maioria dos outros países", disse, explicando que há universidades de outros países que o têm, mas "não acontece de forma sistemática". Garantindo tratar-se de uma rede "única à escala europeia", Mariano Gago exemplificou que é possível "um estudante ou um professor, quando se autentica, passar a ter automaticamente acesso a qualquer outro e a qualquer outra instalação em todo o país". "O facto de se ter conseguido generalizar o uso das tecnologias de informação e comunicação com grande velocidade vem abrir oportunidades de trabalho que antes não existiam", disse. O ministro presidiu ainda à inauguração do Colégio das Artes, na antiga Fábrica dos Leões, na periferia da cidade, cujas instalações foram remodeladas para alojar os cursos de Arquitectura, Design e Multimédia. "O desenvolvimento do sector das artes e arquitectura na Universidade de Évora tem sido acompanhado por uma procura crescente de alunos e de excelentes alunos", disse Mariano Gago, mostrando-se esperançado que a "nova casa atraia mais qualidade e mais talento" para a academia alentejana.
1,949