NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Phonebloks: um conceito espectacular que provavelmente não se irá materializar

Phonebloks: um conceito espectacular que provavelmente não se irá materializar

quarta-feira, 18 setembro, 2013 /
Phonebloks: um conceito espectacular que provavelmente não se irá materializar

O conceito dos Phonebloks assenta em smartphones constituídos por pequenos módulos personalizáveis conforme as necessidades do utilizador

Se o conceito de smartphone modular não lhe é estranho, muito possivelmente tomou contacto recentemente com os Phonebloks, um conceito de módulos aplicados aos smartphones que idealmente passaria por permitir aos utilizadores construirem e personalizarem, de forma relativamente simples, os seus próprios aparelhos. O conceito rapidamente obteve destaque em inúmeros órgãos de comunicação especializados em tecnologias, mas existem alguns entraves à sua concretização.

De acordo com George Hahn, da Generic Maker, existem três factores a ter em conta: Física, Comunicação e Interoperabilidade. Devido à alta velocidade com que os dados viajam num smartphone moderno, todos os módulos que constituem um Phonebloks precisariam de estar muito próximos uns dos outros. Ao separarmos cada componente individual não seria possível assegurar ao smartphone a mesma velocidade de transferência de dados que podemos obter num iPhone ou num Android.

Phonebloks: um conceito espectacular que provavelmente nunca se irá concretizar

Isto significa que também o potencial para podermos interligar as partes em qualquer bloco do smartphone seria confrontada com alguns obstáculos, já que cada componente necessita de estar ligada a pins específicos para poder ser processada.

Outra questão a constituir um problema para o desenvolvimento deste conceito está no custo de produção dos Phonebloks, que o autor sugere ser bem mais elevado do que o inicialmente previsto pelo seu criador. "A quantidade de esforço para testar e depurar que seria necessário para assegurar a compatibilidade de cada componente seria absolutamente enorme", afirma Hahn.

Isto não invalida que o conceito por detrás dos Phonebloks não seja merecedor de mérito. De facto, o próprio Hahn partilha da opinião do criador deste conceito em que existem simplesmente demasiados desperdícios electrónicos. A tecnologia necessária para tal, contudo, provavelmente ainda terá que ser desenvolvida de forma a tornar esta visão possível, sobretudo a um preço relativamente acessível.

Concorda com esta perspectiva? Que entraves acha que poderiam haver à concretização dos Phonebloks? Deixe-nos a sua opinião!

4,835