NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Pentágono liberta GPS

Pentágono liberta GPS

quinta-feira, 04 maio, 2000 /
As forças armadas dos Estados Unidos deixaram de interferir hoje no sistema de navegação por satélite utilizado por civis, por ordem do presidente norte-americano Bill Clinton. «Washington, 02 Mai (Lusa) - As forças armadas dos Estados Unidos deixaram de interferir hoje no sistema de navegação por satélite utilizado por civis, por ordem do presidente norte-americano Bill Clinton. O sistema, conhecido como GPS (Global Positioning System) e controlado pelo Departamento de Defesa norte-americano, é utilizado por automobilistas, aviadores, serviços de salvamento, agricultores, entre outros. Segundo especialistas, o GPS será, sem a interferência militar, pelo menos dez vezes mais preciso do que actualmente. A ordem do presidente Clinton entrou em vigor à meia-noite TMG (01:00, hora de Lisboa) e deverá constituir um impulso para a indústria, que planeia duplicar as suas vendas nos próximos três anos, passando de 8 milhões de dólares para 16 milhões de dólares (de 1,7 para 3,5 milhões de contos). O sistema começou a funcionar em Junho de 1993 quando a força aérea dos Estados Unidos colocou em órbita o satélite Navstar número 24, permitindo a qualquer pessoa que disponha de um receptor especial estabelecer a sua localização no planeta com uma margem de erro de poucos metros. "A partir de agora vamos deixar de interferir nos sinais do sistema", anunciou o porta-voz da Casa Branca, sublinhando que se trata de um avanço muito importante que ampliará a utilidade do GPS em todo o mundo com propósitos civis, comerciais e científicos. O secretário do Comércio William Daley assinalou também a importância de tornar o GPS acessível para o público em geral. Antes de se suspender a interferência militar no sistema, já era possível obter a localização de um veículo com uma margem de erro de 100 metros, e a precisão deverá aumentar agora entre dez a vinte vezes. A Casa Branca anunciou que o GPS terá agora maior resolução do que os mapas elaborados pelo Instituto Geológico dos Estados Unidos. O sistema GPS baseia-se no funcionamento dos relógios atómicos que podem calcular a posição, velocidade e hora em qualquer ponto do globo, de dia ou de noite e em qualquer situação climática. As forças armadas norte-americanas interferiram nos sinais dos satélites durante anos por razões de segurança e para proporcionar aos militares um sistema mais preciso do que os civis. Neal Lane, assessor científico da Casa Branca, explicou que, no caso de existirem "razões de segurança nacional", os militares poderão voltar a interferir no sistema nas zonas em que for necessário. GPS é um acrónimo para Global Positioning System, um sistema de rádio-navegação baseado em satélites desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos. O sistema fornece informações de posição, velocidade e tempo com um elevado nível de precisão. Originalmente desenvolvido para fins militares, o GPS demonstrou ter também um grande potencial para a comunidade civil, sendo cada vez mais usado nas mais diversas aplicações. Os satélites de GPS funcionam como pontos de referência. Um receptor de GPS consegue medir a distância que o separa de um satélite, através do tempo que demora a receber um sinal de rádio enviado por este. O receptor necessita também de conhecer a posição exacta do satélite no espaço, estando esta informação contida no sinal enviado pelo satélite. Usando as distâncias calculadas e a informação referente à posição dos satélites, o receptor determina matematicamente a sua posição por triangulação.»
2,717