NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
PayPal está a permitir que as pequenas e médias empresas portuguesas cresçam e negoceiem mais do que nunca

PayPal está a permitir que as pequenas e médias empresas portuguesas cresçam e negoceiem mais do que nunca

sexta-feira, 22 março, 2019 /
PayPal está a permitir que as pequenas e médias empresas portuguesas cresçam e negoceiem mais do que nunca

The Rent Zone - Aluguer de Dispositivos Tecnológicos

 

Seja na cidade ou no campo, ferramentas digitais como o PayPal estão a suportar o crescimento de pequenas e médias empresas na Europa, independentemente da sua localização. Atualmente, em Portugal, o crescimento ao nível das receitas de vendas é significativo, acompanhando a tendência europeia.

 

O PayPal anunciou os resultados de um novo White Paper, que mostra como o Comércio Digital é um recurso especialmente útil para pequenas e médias empresas (PMEs), com base na análise de dados referentes a uma amostra de 157.636 pequenas empresas que usam o PayPal para aceitar pagamentos digitais, nos 28 países da UE. Os resultados revelam que uma pequena empresa não precisa estar localizada numa cidade para ser bem sucedida.

Na verdade, não importa onde as empresas estão localizadas, seja numa capital ou uma pequena cidade, já que elas crescem ao mesmo ritmo, graças à economia digital, às oportunidades de exportação e às soluções de pagamento online, como o PayPal. A análise dos dados do PayPal comprovam-no, revelando ainda que Portugal regista um crescimento significativo ao nível das receitas de vendas, entre 2016 (81.551.000€) e 2017 (97.774.500€), tanto nas grandes cidades (21,8%) como em cidades mais pequenas (6,4%), acompanhando assim a tendência europeia.

O crescimento do comércio digital oferece mais oportunidades para os empresários se expandirem em toda a UE e por todo o Mundo. A digitalização está a democratizar o comércio, mudando o cálculo de quem se pode envolver por completo nos seus negócios. Os resultados provenientes do White Paper mostram ainda que as pequenas e médias empresas (PME) na UE representam 99% do sector de negócios e empregam dois terços da classe trabalhadora. Nos últimos cinco anos, as PMEs criaram cerca de 85% dos novos empregos e abriram caminho para a prosperidade de milhões de famílias.

 

"As PMEs sempre foram o coração e o motor da economia europeia", afirmou Raimundo Sala, diretor-geral do PayPal em Portugal e Espanha. "No PayPal, temos diferentes ativos importantes para o desenvolvimento e crescimento das PMEs. São o motor que impulsiona o crescimento na UE, contribuindo com 57% do valor agregado da UE, sendo que os países com maior número de PMEs apresentam um maior crescimento económico. O PayPal está a apoiá-las em Portugal desde o início e, graças à introdução de novas ferramentas e recursos, gerimos neste momento mais de 20 milhões de empresas em todo o mundo”, explicou.

As microempresas também são uma parte importante da economia da UE. Em 2016, 14% do emprego total na UE-28, cerca de 30 milhões de pessoas, foram classificadas como trabalhadores por conta própria e 71,5% dessas empresas não empregavam mais nenhum elemento no seu staff. A Internet permite que as PMEs, seja qual for a sua dimensão, possam aceder a mais de 4,1 mil milhões de clientes de todo o Mundo. As PMEs internacionalmente ativas dentro da UE crescem duas vezes mais rápido do que aquelas que vendem apenas para o mercado doméstico.

Conseguimos perceber, também, que se mantém uma lacuna entre os pequenas empresas e as grandes firmas quando passam para o online: enquanto 95% das grandes empresas já tinham um site a partir de 2016, apenas 79% das PMEs poderia dizer o mesmo. Embora as pequenas empresas sejam, desde há muito tempo, a base da economia em todo o mundo – contribuindo para as oportunidades económicas, a diversidade e a saúde em geral das comunidades –, ainda são constantemente mal atendidas pelo sistema financeiro tradicional. No entanto, foi verificado que as pequenas empresas que recebem pagamentos e que suportam as suas operações comerciais com o PayPal estão a crescer mais rapidamente do que as empresas que não utilizam o PayPal.

 

Na verdade, as empresas que usam o PayPal são mais ativas internacionalmente do que as tradicionais empresas que se mantêm offline. Os comerciantes que realizaram exportações através do PayPal enviaram quase metade das suas vendas (41,4%) para países que não pertencem à UE, enquanto 58% das suas exportações são dentro da UE. Em sentido contrário, apenas 28% das tradicionais PMEs exportadoras na UE venderam para um país fora do mercado interno europeu. Os dados agora revelados também provam que existe um crescimento significativo para os comerciantes do PayPal que vendem fora da UE, comparativamente aos que negoceiem exclusivamente dentro da UE (15% e -10%, respetivamente).

A digitalização, e fintech em específico, deram uma nova vida a este setor, criando oportunidades para que pequenas empresas possam alcançar novos clientes e alavancar ferramentas tecnológicas de promoção aos seus negócios. Uma nova geração de empresas está a redefinir o futuro do comércio, apresentando um crescimento exponencial. Identificar o conjunto certo de ferramentas e tecnológica é, então, fundamental para suportar um grupo diversificado de empresas e manter o equilíbrio do mercado.

 

630