NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Paredes que falam e serviço de alta-voz

Paredes que falam e serviço de alta-voz

quarta-feira, 20 março, 2002 /
Foi apresentado na CeBIT um dispositivo que põe as paredes a falar e que poderá derivar para um novo aparelho de alta-voz para telemóveis. O dispositivo foi baptizado de Soundbug e destina-se ao mercado juvenil dos 8 aos 16 anos. "É audio, mas não é de alta fidelidade", explicou Richard May, presidente da empresa responsável pelo "rato falador".

Mas o Soundbug também é alvo dos olhares curiosos pelo material em que é concebido. Segundo o mesmo responsável, a liga metálica é composta por "60 por cento de ferro, uma parte de elementos terrestres raros e é desenvolvido com um pedaço de silício", formando assim o Terfenol-D.

Este material foi desenvolvido por departamentos militares norte-americanos na década de 60 e serviu para a construção de sonares, sendo agora trabalhado pela Newslands Scientific.

A Olympia conta iniciar a comercialização do Soundbug no Reino Unido durante este mês e por atractivo preço de 50 euros. A mesma empresa tem já nas suas cogitações empresariais uma versão para telemóveis que funcionaria como sistema de alta-voz, ou kit mãos livres, denominado Soundforge. O mercado aguarda com expectativa este dispositivo, com a curiosidade simultânea de saber que tipo de ligas metálicas andam os militares norte-americanos a desenvolver.
4,229