NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Obercom sugere taxa para contrariar conteúdos pagos

Obercom sugere taxa para contrariar conteúdos pagos

terça-feira, 22 dezembro, 2009 /
Obercom sugere taxa para contrariar conteúdos pagos O presidente do Observatório da Comunicação (Obercom) sugere a criação de uma taxa a pagar na factura do serviço de internet como alternativa ao pagamento pelo acesso a conteúdos online.

A ideia, avançada por Gustavo Cardoso em entrevista à Lusa, seguiria um mecanismo semelhante ao da Contribuição para o Audiovisual que consta na factura da electricidade, sendo que as receitas seriam depois distribuídas pelos produtores de conteúdos.

Para o responsável do Obercom esta poderá ser uma opção para os órgãos de comunicação social que equacionam cobrar pelos conteúdos que disponibilizam na internet, já que a cobrança directa poderá implicar perda de leitores. "Não conheço nenhum estudo em Portugal sobre esta questão mas se na factura da internet de casa um euro for destinado a compensações para entidades que produzem os conteúdos, talvez seja mais rentável do que o pagamento directo", afirma, citado pela Lusa num artigo do DiarioDigital.

Estamos absolutamente contra esta ideia! A informação online deve ser servida gratuitamente, é esse o principio básico da Internet. Quem não o quiser fazer, que se abstenha de estar online ou cobre pelos seus serviços onde os prestam, nos seus sites, nos seus blogues. 

2,620