NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Nanopartículas podem tornar baterias mais duradouras

Nanopartículas podem tornar baterias mais duradouras

quinta-feira, 06 agosto, 2015 /
Nanopartículas podem tornar baterias mais duradouras
Uma equipa do MIT descobriu um novo tipo de nanopartícula que se pode aplicar às baterias convencionais.

Ao passo que a tecnologia mobile vai sofrendo evoluções através da adição de software e hardware mais avançado, também as baterias são alvo de melhorias por parte das marcas contudo, a tendência é que tenham praticamente a mesma duração, obrigando os utilizadores a tomar medidas para economizar a sua capacidade.

O tempo de autonomia médio de uma bateria pertencente a um smartphone comum é de cerca de um dia, sendo que apenas alguns modelos conseguem obter uma duração substancialmente maior. Contudo, parece que uma equipa de investigadores no MIT (Massachusetts Institute of Technology) conseguiu encontrar um modo de aumentar a longevidade destas tão importantes peças, através da descoberta de uma nanopartícula que poderá eventualmente ser aplicada neste âmbito.

À medida que as baterias sofrem ciclos de carga/descarga, os seus elétrodos expandem e contraem. Este processo leva a um certo dano físico a longo prazo que, inevitavelmente, irá influenciar o seu desempenho e por conseguinte, diminuir a sua duração.

É aqui que entra a dita nanopartícula, constituída por um invólucro com uma substância interior que pode ser usada como um elétrodo. É precisamente esta substância que pode expandir e contrair sem afectar o tamanho do revestimento em que está inserida, mantendo exactamente as mesmas dimensões.

Esta é apenas mais uma investigação entre várias outras no âmbito de carregamento e autonomia, que se espera que possa vir a dar frutos num futuro próximo. 
3,041