NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Mercado de telecomunicações móveis em Angola vai quadruplicar em valor e concorrência vai crescer

Mercado de telecomunicações móveis em Angola vai quadruplicar em valor e concorrência vai crescer

terça, 14 julho, 2009 /
Mercado de telecomunicações móveis em Angola vai quadruplicar em valor e concorrência vai crescer O crescimento da procura de telecomunicações móveis em Angola vai fazer com que o valor do mercado quadruplique até 2015 e que a concorrência se intensifique com a entrada de um terceiro operador já em 2010, segundo a consultora Frost&Sullivan. "Este mercado vai ter significativos níveis de crescimento nos próximos sete anos, bem como melhorias de infra-estruturas que vão colocar o país como um dos mais desenvolvidos em áfrica", afirma a analista Silvia Hirano Venter, do escritório da consultora na Cidade do Cabo, África do Sul.

De acordo com as previsões da consultora, o volume de vendas no mercado angolano vai crescer dos $1.26 bilhões do ano passado para $5.7 bilhões em 2015.

A sustentar o crescimento das vendas estará o investimento empresarial estrangeiro em Angola, que leva a um aumento da procura de todo o tipo de serviços, entre eles telecomunicações.

Actualmente estão em curso importantes investimentos em infra-estruturas de telecomunicações no país.

A Angola Telecom adjudicou á empresa chinesa ZTE o projecto de expansão e modernização da rede de telecomunicações na região Leste, que representa um investimento estatal de 102 milhões de dólares.

Estão abrangidas as províncias de Malanje, Zaire, Bié, Moxico Cuando Cubango e Lundas Norte e Sul, prevendo-se a conclusão do projecto para 2010.

A realização deste projecto vai permitir a instalação no país de novas redes de acesso de cobre e sem fio, de 3276 quilómetros de fibra óptica e de seis mil linhas telefónicas.

Vai permitir, igualmente, a instalação de 1392 linhas VSAT, 761 de Internet em banda larga (ADSL) e de 13 mil linhas fixas sem fio (CDMA).

Até ao final do primeiro trimestre deste ano, segundo a Angola Telecom, prevê-se que a província do Zaire, nomeadamente, as regiões do Soyo e Tomboco, tenham já ligados os cabos de fibra óptica, pelo facto dos troços estarem desminados.

Com uma população de perto de 16 milhões de pessoas, Angola tem actualmente mais de 7,5 milhões de utilizadores de telefonia móvel e cerca de 200 mil de telefonia fixa, segundo o Instituto Nacional das Comunicações (Inacom).

Cerca de cinco milhões do total da cifra de utilizadores de telefonia móvel são clientes da operadora Unitel, participada pela Sonangol e Portugal Telecom, e dois milhões e meio da sua concorrente Movicel, comprada em 2008 pela ZTE.

Segundo maior fabricante equipamentos de telecomunicações móveis da China, a ZTE está envolvida também na extensão da rede de 3G em Timor-Leste.

Em breve, Movicel e Unitel deverão enfrentar a concorrência de um terceiro operador, prevendo-se para 2010 a atribuição de uma terceira licença de comunicações móveis no país.

"Este facto vai aumentar o nível de concorrência entre os operadores e os revendedores" de serviços, refere a analista Silvia Hirano Venter.

Entre as operadoras fixas estão a Angola Telecom, empresa pública que detêm o controlo da rede básica de telecomunicações do país, Mundo Startel, MSTelecom, Nexus e Wezacom.
7,249