NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
HSCSD versus GPRS. Diferenças tecnológicas. Vantagens e desvantagens na óptica do utilizador

HSCSD versus GPRS. Diferenças tecnológicas. Vantagens e desvantagens na óptica do utilizador

segunda-feira, 31 dezembro, 2001 /
A internet através das redes móveis é uma realidade cada vez mais apetecível para os consumidores. HSCSD e GPRS surgiram como tecnologias alternativas e aparentemente concorrenciais. Entenda a diferença. HSCSD e GPRS constituem ambos tecnologias capazes de elevar a velocidade de transmissão de dados através das redes móveis. São por isso designados - em especial o segundo - de «segunda geração e meia».

O HSCSD constitui a abreviatura de «High Speed Circuit Switched Data», tecnologia em que as redes celulares actuais são baseadas. GPRS é acrónimo de «General Packet Rádio Service», uma tecnologia divergente. A diferença fundamental entre um e outro é que no primeiro caso é atribuído um canal físico permanente à ligação durante toda a duração da chamada - mesmo quando não está a ser transferida informação - enquanto, no segundo caso, esse mesmo canal só é alocado quando é necessário transferir informação seja para receber ou enviar, sendo possível permitir a partilha dos canais entre diferentes utilizadores.

Ambas as tecnologias ostentam em termos práticos possibilidades muito semelhantes com, não obstante, algumas diferenças de fundo mais proeminentes que passamos a enumerar.

  • O HSCSD preexistiu no tempo ao GPRS. Foi a primeira tecnologia a permitir a extensão de largura de banda através do GSM.
  • Potencialmente o HSCSD permite uma velocidade máxima de transmissão de dados de 57,6 Kbps correspondente à ligação simultânea de quatro slots de 14,4 Kbps. Em contrapartida o GPRS deveria poder proporcionar velocidades máximas na casa dos 171,2 kbps, correspondentes a 8 timeslots à velocidade de 21,4 Kbps. Na prática, todavia, tanto os serviços de HSCSD como de GPRS existentes se quedam por velocidades práticas na casa das três dezenas de Kbps até porque, correntemente, não existem aparelhos GPRS individuais capazes de manter mais de quatro slots activos.
  • A implementação na rede da tecnologia do HSCSD exige um investimento em equipamento inferior ao GPRS - tecnologia mais complexa.
  • No HSCSD os slots são atribuídas ao utilizador individual durante toda a duração da chamada. No GPRS eles podem ser partilhados.
  • Como consequência do factor anterior, o HSCSD é taxado em função do tempo de uso enquanto o GPRS é taxado em função do volume de dados.
Existem outras diferenças técnicas que, para o utilizador final são pouco relevantes. O que realmente importa é a qualidade de prestação dos dois serviços. A este nível é de notar que, apesar do HSCSD ser mais antigo e a sua implementação menos dispendiosa dois operadores nacionais (Optimus e TMN) optaram apenas por suportar o GPRS. Esta opção, contudo, deve-se sobretudo ao facto de o GPRS permitir uma gestão mais eficientes dos recursos da rede.

Enquanto no HSCSD um utilizador monopolizaria quatro slots sozinho (é preciso não esquecer que cada slot poderia estar a ser ocupado por uma chamada de voz normal), perigando assim a capacidade de resposta, no GPRS - como já se disse -é possível ter slots atribuídos a diversos utilizadores. Na medida em que se sabe que a experiência de utilização da internet inclui momentos instantâneos de grande requisito de informação (e.g. ao abrir uma página) seguido de longos períodos de pausa para a sua digestão (e.g. leitura da página) o mais provável é que os utilizadores peçam informação em momentos diferentes traduzindo-se a questão, na perspectiva da rede e do operador, na maximização do sistema usando os menores recursos para fornecer o maior número de clientes.

Pela sua natureza a tecnologia HSCSD é melhor para aplicações que necessitam de uma transferência de dados pela rede a velocidades constantes e com tempos de resposta rápidos como é por exemplo o caso da videoconferência que, com o GPRS pode arriscar flutuações na qualidade da imagem.

É ainda de salientar que estudos a que o Telemóveis.com teve acesso, mormente efectuados pela Sonera, revelam que ambos os sistemas (HSCSD e GPRS) são maus no que toca o establecimento de comunciações a alta velocidade quando em movimento, sendo, neste contexto, apesar de tudo, o HSCSD mais eficiente.

Finalmente, na perspectiva do utilizador final a grande vantagem do GPRS é sobretudo o preço, taxado pelo volume de dados e não em função do tempo. Este modelo de tarifário, que constitui um dos grandes sucessos do I-mode (o sibling japonês do Wap), permite uma experiência de navegação sem peias.

Leia também o nosso artigo HSCSD versus GPRS. Preços e condições. Dicas para escolher.

21,917
Tags
Gprs