NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Eu Não Quero Que Subscreva A Nossa Newsletter

Eu Não Quero Que Subscreva A Nossa Newsletter

quarta-feira, 09 dezembro, 2015 /
Eu Não Quero Que Subscreva A Nossa Newsletter

Porque não quero que subscreva a Newsletter diária que envio no Telemoveis.com?

 

*Imagem: Huffington Post

 

Não há nada pior do que conversar com alguém desinteressado.

Sabe ao que me refiro?

 

Não é apenas desagradável. Por vezes até chega a roçar o ofensivo.

Quem quer investir tempo e energia com alguém assim?

 

Eu não.

Creio que estará de acordo comigo se lhe disser que mais vale dar atenção a quem realmente o quer ouvir.

 

É esse interesse (mútuo) que separa as pessoas que nos são próximas das que nos são mais distantes.

É um princípio básico em qualquer relação. Pessoal ou profissional.

Por e-mail não é diferente.

 

Porque Não Quero Que Subscreva A Nossa Newsletter

 

Porque eu não quero a sua subscrição. Eu quero o seu interesse.

Mais do que isso: eu quero que seja o leitor a querer estar interessado.

 

Só posso estar louco, certo?

Mas porquê?

 

Porque a Newsletter é uma conversação que temos consigo. E não faz qualquer sentido tê-la se não estiver interessado.

Esta é a diferença entre qualidade e quantidade.

 

Um leitor interessado tem uma relação com o Telemoveis.com.

Um subscritor desinteressado não.

 

Um subscritor desinteressado pode inclusive ser prejudicial para o Telemoveis.com (um pouco como os amigos com quem perdemos o contacto, mas que ainda mantemos no Facebook).

Ou seja: ocupam um lugar que seria melhor aproveitado por quem está mesmo interessado.

 

Um acrescenta valor; o outro destrói valor.

Qual deles parece ser melhor para si?

 

A Vida é Demasiado Curta Para Perdermos Tempo Um Com o Outro

 

Não sei quanto a si, mas eu não me contento apenas com o razoável.

Sei que por vezes é inevitável, mas procuro sempre privilegiar aquilo que realmente é importante para mim.

 

A filosofia que aplico ao Telemoveis.com não é muito diferente.

É melhor para si porque tem uma nova oportunidade de investir o seu tempo onde realmente importa.

 

É melhor para mim porque me dá a oportunidade de me conectar com quem realmente nos quer ouvir.

Ambos ganhamos.

 

O Que Acontece Quando Há Mais Subscritores Do Que Leitores

 

Quantidade não é sinónimo de qualidade.

Em alguns casos pode inclusive ser contra-produtivo. Particularmente com Newsletters.

 

Estas são algumas das desvantagens de se ter mais subscritores do que leitores:

 

• Reduz o desempenho de uma Newsletter
• Reduz o valor geral da Newsletter
• Reduz a reputação do Telemoveis.com
Pode remeter a Newsletter para listas-negras (SPAM)
No pior cenário pode fazer com que o Telemoveis.com seja bloqueado por ISP's (provedores de internet)
Afecta negativamente as métricas (o que resulta em dados menos fidedignos)

 

Todos ganhamos.

E ainda se evitam episódios como o que irei relatar de seguida.

 

Vai-te F**** C*****, Pirata de M****

 

Desculpe-me desde já a linguagem ofensiva.

O que acabou de ler foi um email que recebi recentemente de um ex-subscritor nosso (tomei a liberdade de censurar, mas creio que a mensagem foi clara).

 

Não estou a inventar. Esse ex-subscritor apresenta inclusive um cargo de responsabilidade dentro da Autoridade Tributária e Assuntos Fiscais da Região Autónoma da Madeira.

O que justificou tamanha agressividade?

 

Um e-mail não solicitado.

Sou o primeiro a reconhecer que e-mails não solicitados são uma chatice:

 

Para o Telemoveis.com, porque não comunica de forma eficiente
Para o subscritor, porque recebe informação que não lhe interessa

 

Existem três formas de lidarmos com situações assim:

 

O subscritor clica em 'Unsubscribe' e retira-se da Newsletter
O subscritor contacta o Telemoveis.com e nós retiramo-lo da Newsletter
O Telemoveis.com retira automaticamente subscritores que não interajam com a Newsletter

 

O último processo só é feito de três em três meses.

É também com prazer que lhe comunico que a maioria dos pedidos tendem a ser bem-educados.

 

O pedido que lhe relatei mais acima foi uma infeliz excepção, e penso ter-se devido:

 

Ao tom informal de um envio automático realizado pelo Telemoveis.com
Todos os e-mails (mesmo os automáticos) vão assinados por mim
Todos os e-mails se dirigem a quem está do outro lado, geralmente pelo nome

 

Quando contactámos o remetente do e-mail, esta foi a resposta que obtivemos:

 

« Agradeço que me retirem da vossa lista de e-mails, automática ou não.

Não constitui boa prática o envio reiterado de e-mails sem a concordância do destinatário além de que, com a sua iniciativa, bloqueou inadvertidamente um servidor institucional e respectivos acessos remotos, com os prejuízos que isso acarreta e que são mensuráveis.

A resposta que alega, provavelmente recebeu-a de algum "intruso informático", até por via da sua iniciativa, já em desespero de causa ou aproveitamento de Spams de toda a natureza e feitio.

Deverá medir com prudência em que sistemas acede e com que rotinas, pois os prejuízos causados podem até ser irreparáveis.

Dadas as incoviniências e perturbações causadas pelas suas mensagens, poderá ter resultado na justaposição automática de um logótipo associado a um e-mail de acesso condicionado e sempre rastreado em busca de hackers.

Não dominando a matéria, em boa verdade tudo aparenta que o gestor do servidor foi alertado de uma intrusão com origem na sua mensagem.

Esclarecida a questão, naturalmente que não tenho qualquer responsabilidade na mensagem que possa ter recebido como se da minha caixa fosse remetida ».

 

É precisamente este tipo de relações que queremos evitar.

 

3,730