NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Criadores de popular versão pirata do XP são condenados à prisão na China

Criadores de popular versão pirata do XP são condenados à prisão na China

sexta, 21 agosto, 2009 /
Criadores de popular versão pirata do XP são condenados à prisão na China Empresa que hospedava o site 'Tomato Garden' também foi multada. Este é maior processo por pirataria na história do país, diz agência estatal. Um tribunal chinês condenou à prisão quatro pessoas que distribuiam uma versão pirata do sistema operacional Windows XP, da Microsoft, conhecida como "Tomato Garden". O caso foi classificado como "o maior processo por pirataria na história da nação", pela agência de notícias chinesa Xinhua. Hong Lei, criador do software "Tomato Garden Windows XP", foi condenado a três anos e meio de prisão nesta quinta-feira (20), por um tribunal em Suzhou, no leste da China, informou a Xinhua, citando fontes dos media locais. Além disso, ele foi multado em cerca de 150 mil dólares, em moeda local. Um de seus cúmplices, Sun Xianzhong, recebeu ima sentença semelhante, enquanto outros dois foram condenados a dois anos de prisão, além de multa de cerca de 15 mil dólares. Hong criou a versão pirata do Windows XP, que paralisa as barreiras de autenticação e certificação do programa original, afirmou a Xinhua, permitindo aos usuários acesso sem qualquer restrições ao popular software da Microsoft. Ainda segundo a agência, milhões de cibernautas ganharam acesso gratuito ao software no site "Tomato Garden", criado em 2004, que facturava com a veiculação de publicidade. A empresa Chengdu Gongruan Networking Technology, que hospedava o site, também foi condenada e teve os seus lucros de 430 mil dólares confiscados pelo governo chinês, além de ser multada em cerca de 1,3 milhões de dólares, informou o site "China Daily". Pequim tem vindo a dar destaque a veredictos judiciais como este, a fim de demonstrar aos governos e empresas estrangeiros, especialmente a Washington, que leva a sério a necessidade de reprimir a pirataria generalizada de produtos protegidos por patentes e direitos de autor, especialmente filmes, música e software.
2,529