NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Amazon, Microsoft e a Yahoo unem-se contra o Google Books - Actualizada

Amazon, Microsoft e a Yahoo unem-se contra o Google Books - Actualizada

sexta-feira, 21 agosto, 2009 /
Amazon, Microsoft e a Yahoo unem-se contra o Google Books - Actualizada Num artigo muito apimentado, a Engaged acusou a Amazon, Microsoft e o seu novo animal de estimação, a Yahoo de se unirem contra o Google Books. Por outro lado, há quem veja enormes benefícios na iniciativa do Google, como muitas bibliotecas, instituições de ensino e autores. "Assim nasce a Open Book Alliance. Podemos contar com um esforço extraordinário para entregar a palavra escrita num novo formato que poderá reduzir o Google Books a ums estágio de insignificância ou não. Longe de querer competir com o o Google, o OBA vai servir para ajudar todos aqueles que se opõem ao recente negócio de 125 milhões de dólares que o Google fechou com algumas editoras e autores. Com o departamento de justiça americano já a investigar esta nova associação, os "cães grandes" não se contentaram em ladrar mais alto, não, eles pretendem orfanar todas as obras do projecto «The Internet Archive» que o Google não conseguirá indexar, por não terem copyright, ficando assim os autores sem os 30% de lucros que o Google promete a todos os que se juntaram ao seu projecto. Bem, então vamos esperar que o Google faça o que é mais acertado, sim?" Apontou a Engaged. O «The Internet Archive», organização sem fins lucrativos fundada com o objectivo de criar uma das maiores bibliotecas on-line, permite o acesso a conteúdos que existam em suport digital e estejam livres das restrições genéricas das leis de copyright, faz também parte da «Open Book Alliance» "O acordo do Google Books aumenta a concorrência no sector livreiro formato digital, então é compreensível que os nossos concorrentes lutem duramente para evitar mais concorrência", disse Gabriel Stricker, porta-voz do Google. "É irónico que algumas destas queixas venham de uma empresa que abandonou a sua iniciativa de digitalização de livros por falta de "apelo comercial" aditou. O acordo entre o Google com autores e editoras há dez meses atrás, pretende oferecer acesso gratuito a alguns livros através de seu mecanismo de busca, além de vender outros, que terão receita compartilhada entre o Google e os donos dos direitos das obras. Os críticos do acordo acreditam que o negócio vai dar ao Google muito poder em relação à política de preços praticados nesse mercado, além de mostrarem preocupações em relação à capacidade da empresa para armazenar mais dados pessoais sobre os utilizadores, ao rastrear o que este lêem. "Vemos muitas desvantagens neste acordo", disse Peter Brantley do Internet Archive, nesta quinta-feira (20). Por outro lado, há quem veja enormes benefícios na iniciativa do Google, como muitas bibliotecas, instituições de ensino e autores. última Actualização: 20H50
2,095