NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo

Tablets Windows 8: um sinal do declínio dos PCs?

quarta-feira, 14 novembro, 2012 /
Tablets Windows 8: um sinal do declínio dos PCs?

Serão os tablets Windows 8 o primeiro sinal do declínio do segmento dos PCs? Vários analistas crêem que sim, mas afirmam que vai levar alguns anos.

Os tablets Windows não são de agora, mas só com o recente lançamento do Windows 8 é que começou a haver uma sensação de 'unidade' entre o segmento dos tablets e dos PCs. Foi a pensar nisto que vários analistas previram que o mundo pós-PC poderá estar mais perto do que poderíamos imaginar: de acordo com o BGR, vários analistas, inclusive vários que previram que o segmento dos computadores pessoais iria continuar a crescer este ano, poderão ter que rever as suas previsões.

Tablets Windows 8: um sinal do declínio dos PCs?

Por todo o mundo registam-se diminuições na venda de PCs, um declínio observado pela primeira vez em 11 anos, com os consumidores a apresentarem uma tendência cada vez mais concentrada em tablets e smartphones. Ben Reitzes, analista da Barclays, é um dos que temem que o declínio nas vendas dos computadores pessoais possa acentuar-se durante os próximos anos - uma tendência que, a confirmar-se, irá observar-se pelo menos até 2016.

Estamos a baixar as nossas previsões 2012-2016 devido às fracas condições macro, à confusão em redor do Windows 8 e à contínua canibalização dos tablets,refere numa nota de pesquisa divulgada pela Forbes. Por enquanto esse declínio da indústria do PC deverá manter-se numa média de 3% anuais, com um ligeiro aumento em períodos como o quarto trimestre fiscal de cada ano, em que poderá aumentar para 6%.

Tablets Windows 8: um sinal do declínio dos PCs

Um dos possíveis motivos? Possivelmente a crise económica global. Em parte, Reitzes sugere que o mercado dos consumidores permanece fraco, [enquanto que] o mercados dos tablets e dos smartphones continua a canibalizar o dos PCs; o iPad mini, o novo iPad e o iPhone 5 poderão continuar a roubar quota de carteira.

Outro motivo apontado é o da cada vez maior penetração dos tablets no segmento profissional, que poderá colocar em causa a utilização do PC enquanto ferramenta de trabalho. Reitzes acredita, contudo, que o novo Windows 8 da Microsoft ainda está a criar confusão entre o ecossistema PC e o segmento dos ultrabooks.

Não deixa de ser uma previsão interessante, embora por enquanto não passe disso mesmo: uma possibilidade e não uma certeza. Menos preocupado e possivelmente mais optimista está o director-executivo da Lenovo, Yang Yuanqing.

A Lenovo é a maior fabricante de computadores pessoais do mundo, mas também tem conhecimento de mercado no segmento dos tablets, que mais recentemente tem vindo a assistir a um aumento da sua popularidade na categoria das 7 polegadas. De acordo com Yanqing, há uma maior probabilidade destes pequenos tablets virem a concorrer com o mercado dos smartphones do que propriamente com o dos computadores pessoais - uma afirmação que nos parece fazer algum sentido. Se tivermos em conta quão recente é o mercado dos tablets e o compararmos ao dos smartphones, ambos apresentam tendência para se aproximarem - tanto em termos de especificações, como também de tamanho e funcionalidades.

3,444