NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Telemóveis perigosos nos comboios

Telemóveis perigosos nos comboios

quarta-feira, 08 maio, 2002 /
Uma investigação feita por japoneses denunciou perigo no uso de telemóveis nos comboios e no metro. O campo electromagnético criado pelos comboios e metropolitanos é incompatível com o uso de telemóveis. Tsuyoshi Hondou, da Universidade de Tohuku, fez a experiência com uma carruagem tradicional para calcular o impacto das radiações emitidas pelas antenas de comunicações móveis. A conclusão não é animadora, já que o cientista verificou que as janelas não conseguem deixar escapar as ondas emitidas, ficando retidas no habitáculo das composições.

Se 30 passageiros, num total de 151, estiverem em simultâneo a usar o telemóvel dentro do comboio, o nível de radiação verificado é bastante superior ao que é permitido pelo Comité Internacional sobre Radiação Não Ionizante. Estes valores podem ser, igualmente, verificados em outros locais fechados e sujeitos a campos electromagnéticos fortes, como são os casos dos autocarros e elevadores.

Este teste é mais uma acha na fogueira das radiações, que ainda arde sem se ver. Isto porque ainda são manifestamente insuficientes os testes feitos sobre esta matéria e que podem (ou não) apontar para os malefícios das radiações dos telemóveis na saúde pública. O mundo ainda aguarda, pacientemente, os testes iniciados pela Organização Mundial de Saúde e que terão um período mínimo de análise de quatro anos.
3,681