NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Sonaecom não decidiu sobre preço da OPA

Sonaecom não decidiu sobre preço da OPA

terça-feira, 09 maio, 2006 /
Ajustar ou não ao dividendo da PT. A Sonaecom «não tem de tomar já essa decisão; tem até à altura do registo» da oferta para o fazer, explicou o administrador em declarações à margem do Fórum de Informática e Comunicações - FINCO 2006.

«É possível, hoje, à Sonaecom, manter o valor da oferta inicial, ajustando a diferença do dividendo», disse Luís Reis, sublinhando que «a CMVM e a SEC [reguladora do mercado de capitais norte-americano] compreendem e aceitarão se for necessário que isso aconteça».

A 14 de Abril, antes da assembleia geral de accionistas da PT em que foi aprovado o pagamento do dividendo de 47,5 cêntimos (acima do dividendo de 38,5 cêntimos inicialmente anunciado antes do lançamento da OPA), a Sonaecom escreveu à SEC solicitando-lhe autorização para adquirir acções do operador de telecomunicações durante a pendência da oferta. Também pediu autorização para, se assim o entendesse, ajustar o valor da oferta (de 9,5 euros por acção) à diferença (de 9 cêntimos) entre o dividendo inicial e o dividendo entretanto revisto e aprovado na assembleia-geral da PT, que se realizou a 21 de Abril.

Numa carta de resposta datada de 18 de Abril, a SEC deu luz verde às pretensões da Sonaecom, autorizando-a a adquirir acções da PT enquanto decorrer a oferta e também a fazer o referido ajustamento ao valor da oferta.

Na mesma carta enviada à SEC, a Sonaecom mencionou ainda a intenção de pedir permissão à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários para «reduzir a oferta num montante idêntico ao da diferença entre o dividendo inicial da PT e o dividendo revisto».
2,324