NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
SONACOM aumenta os seus lucros em 2009

SONACOM aumenta os seus lucros em 2009

terça-feira, 09 março, 2010 /
SONACOM aumenta os seus lucros em 2009 A Sonaecom alcançou um resultado líquido positivo pelo terceiro ano consecutivo, reforçando a sua sustentabilidade e demonstrando a assertividade do seu plano estratégico. O lucro ascendeu a 5,7 milhões de euros (M?) no exercício de 2009, registando um crescimento de 15% face a 2008. O Volume de Negócios ascendeu a 949,4 milhões de euros.

Destaques:

  • Resultado líquido cresce 15% para 5,7M? em 2009 e é positivo pelo terceiro ano consecutivo;
  • Receitas de Clientes recorde no negócio Móvel de 461,9 M? e aumento de 7,6% do número de clientes para 3,43 milhões;
  • Receitas de Dados representam já 28,1% das Receitas de Serviços móveis (+5,6pp vs 2008)
  • Geração de free cash flow positivo e redução da dívida líquida;
  • SSI obtém receitas de cerca 150,0M? e reforça EBITDA em 47,1%, numa base comparável
  • Grupo cria emprego e aumenta em 2,3% o número de colaboradores.


A Sonaecom alcançou um resultado líquido positivo pelo terceiro ano consecutivo, reforçando a sua sustentabilidade e demonstrando a assertividade do seu plano estratégico. O lucro ascendeu a 5,7 milhões de euros (M?) no exercício de 2009, registando um crescimento de 15% face a 2008. O Volume de Negócios ascendeu a 949,4 milhões de euros.

Segundo Ângelo Paupério, CEO da Sonaecom, "os resultados excederam os objectivos ambiciosos que definimos no início do ano. A dinâmica comercial, a par de uma gestão eficiente dos negócios, permitiu o crescimento dos lucros e do EBITDA no exercício de 2009. O trabalho efectuado e a liderança em inovação no sector das telecomunicações leva o Grupo a antecipar um reforço da sua competitividade em 2010, onde a afirmação da Optimus como o melhor operador integrado de telecomunicações é cada vez mais uma realidade."

Em 2009, a Sonaecom apresentou uma performance consistente ao nível do volume de negócios, com um forte incremento da actividade da divisão de Software e Sistemas de Informação (SSI) e um crescimento assinalável das receitas de Clientes no negócio Móvel, a um nível recorde na Optimus.
As Receitas Consolidadas do Grupo, apesar de afectadas pela descida das tarifas de interligação móvel, demonstraram uma forte resiliência ao descerem apenas 2,7%, para os 949,4 M?, em 2009. Sem a descida das referidas tarifas, o volume de negócios estaria em linha com o volume registado no ano anterior. Entendemos que a descida de preços de interligação deveria ter sido mais agressiva para poder constituir um instrumento útil para combater a falha de mercado que persiste em Portugal, caracterizada pela diferenciação de tarifas dentro e fora da rede, que sempre beneficiou os operadores com maior quota de mercado e prejudicou a concorrência.

Ao longo do ano de 2009 assistiu-se a um reforço da eficiência operacional, com as diversas iniciativas de controlo de custos implementadas ao longo do ano e a gestão eficiente dos investimentos a traduzirem-se em resultados concretos. Os custos operacionais diminuíram 5,3%, para 761,7 milhões de euros, apesar de a Sonaecom ter reforçado o seu quadro de pessoal em 45 colaboradores, passando a ser responsável por mais de 2.000 empregos directos.

A eficiência demostrada traduziu-se numa melhoria do desempenho operacional, com o EBITDA a registar um crescimento de 9,5%, para 175,7 M?, e a margem EBITDA a aumentar de 16,4% para 18,5%.

Os resultados financeiros líquidos registaram uma melhoria de 28,6%, para -12,7 M?, beneficiando de menores encargos financeiros em resultado da descida das taxas de juro de mercado e da diminuição da dívida média no período. A dívida líquida consolidada diminuiu para 298,5 M?, tendo o rácio de endividamento Dívida Líquida / EBITDA melhorado de 1,9x, no final de 2008, para 1,7x, no final deste exercício.
Em 2009, o nível de investimento operacional do Grupo ascendeu a 135,9 M?, representando cerca de 14,3% do volume de negócios. Apesar deste esforço, canalizado para soluções tecnológicas que continuarão a permitir a afirmação da Optimus como o operador integrado de referência no sector das telecomunicações em Portugal, o free cash flow do Grupo foi positivo em 7,5 M? em 2009.

A análise ao desempenho do Grupo nos diversos sectores de actividade onde opera revela uma evolução positiva generalizada no último ano, com todas as áreas a melhorarem o seu contributo para o Consolidado:

  • Nas telecomunicações, é de salientar o nível recorde de receitas de cliente no serviço Móvel, que ascenderam a 461,9 M?, suportadas pelo aumento de 7,6% do número de clientes para 3,43 milhões.
  • A actividade no sector dos media foi alvo de uma reorganização em 2009 e, apesar do ambiente negativo para a imprensa diária generalista, o Público conseguiu reforçar os seus indicadores de audiência e aumentar as receitas de venda de jornal em 3,2%, o que contribuiu para a melhoria do EBITDA em 17,4%.
  • Ao nível da SSI, as receitas totais totalizaram cerca 150M? e o EBITDA aumentou 42,1% (numa base comparável), fruto do incremento da actividade internacional da WeDo Technologies e do reforço da penetração no mercado da Mainroad, Bizdirect e Saphety.


Principais indicadores financeiros
2009 2008 ? 09/08
Receitas 949,4 976,2 -2,7%
Custos Operacionais 761,7 804,5 -5,3%
EBITDA 175,7 160,4 9,5%
Margem EBITDA 18,5% 16,4% 2,1pp
Resultado Líquido 5,7 5,0 15,0%
CAPEX Operacional 135,9 192,1 -29,3%
Free Cash Flow (1)
27,5 -85.2 -
Dívida Líquida 298,5 299,7 -0,4%
Dívida Líquida/EBITDA 1,7x 1,9x -0,2x
Valores em milhões de euros
(1) Excluindo operação de securitização
As acções da Sonaecom registaram a segunda melhor performance bolsista entre os constituintes do índice PSI-20, acumulando uma valorização de 92,2% durante o ano de 2009.

Perspectivas para 2010:

Ângelo Paupério, CEO da Sonaecom
"Em 2010 prosseguiremos a nossa estratégia para afirmar a Optimus como o melhor operador integrado de telecomunicações em Portugal. Com esse objectivo, vamos continuar a investir na liderança em inovação e na qualidade da nossa rede state-of-the-art, assegurando uma expansão ainda mais rápida dos nossos serviços.

Na SSI, pretendemos continuar a crescer tanto no mercado português como internacional, através do reforço da nossa liderança mundial no mercado de Revenue Assurance no sector das telecomunicações e alargando o portfólio a soluções complementares de Gestão de Fraude, bem como expandindo a nossa oferta a outros sectores.
No Público, vamos explorar as oportunidades emergentes na vertente on-line e na extensão da marca, reforçando o papel do jornal como uma referência de informação independente em Portugal-

Apesar de anteciparmos um ano de desafios, enfrentamos o futuro com optimismo e grande confiança, certos de que temos a melhor estratégia para criar valor para os accionistas. A nossa estrutura de capital é confortável e temos uma base accionista estável e comprometida com o sector. Estou certo de que temos a organização adequada, e sei que posso contar com uma equipa experiente e motivada, que actua no respeito dos valores da sustentabilidade e que continuará a desenvolver a nossa cultura de inovação e de rigor."

Por : Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. - Telemoveis.com
Telemoveis.com on Facebook
Siga-nos no Twitter!
2,591