NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Segurança: Filipinas imitam S. Paulo

Segurança: Filipinas imitam S. Paulo

terça-feira, 19 março, 2002 /
As Filipinas vão seguir o exemplo paulista e registar os telemóveis de cartões recarregáveis para combater o crime. O Telemoveis.com já antes tinha dado conta da medida proposta pelo Governador do Estado de São Paulo, no Brasil, em tornar obrigatório o registo dos telemóveis com cartões recarregáveis. Isto porque a taxa de criminalidade é, muitas vezes, associada à facilidade de comunicações que os telemóveis permitem agravada pelo anonimato dos telefones celulares pré-pagos.

No caso das Filipinas, já é necessário ter o telefone registado para fazer chamadas para certos números. Não são especificados quais são os números mas as razões são praticamente as mesmas que levaram a tomar as mesmas medidas na capital económica do Brasil. Para além de se pretender combater o crime, com o registo dos telemóveis será mais fácil recolher os respectivos impostos.

Um ex-responsável da Comissão Nacional de Telecomunicações, Joseph Santiago, afirmou que as operadoras já aliciam os clientes a registar os seus aparelhos com concursos e ofertas especiais.

Mas há um trunfo nas Filipinas que pode jogar a favor das autoridades neste sentido: o serviço de mensagens escritas, vulgo SMS, é uma moda com uma taxa de adesão tão elevada que foi já considerada como arma política de grande expressão. Ou seja, a população vive com o medo de que as mensagens que diariamente circulam possam ser bloqueadas ou censuradas pelo Governo.

Tal foi negado prontamente pelas autoridades, que se escudam na legislação em vigor para provar a independência das operadoras privadas e estatais de telecomunicações móveis filipinas. Mas a identificação dos telemóveis é uma medida cada vez mais ponderada pelos países onde o índice de criminalidade é extremamente alto.
2,518