NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Portugal Telecom apresenta os resultados auditados referentes ao exercício de 1998

Portugal Telecom apresenta os resultados auditados referentes ao exercício de 1998

sábado, 13 março, 1999 /
Lisboa. Portugal. 11 de Março de 1999 - A Portugal Telecom (BVL: PTCO.IN; NYSE: PT) divulgou hoje os resultados relativos ao exercício de 1998. Lisboa. Portugal. 11 de Março de 1999 - A Portugal Telecom (BVL: PTCO.IN; NYSE: PT) divulgou hoje os resultados relativos ao exercício de 1998. A Portugal Telecom aumentou e melhorou a informação divulgada, de modo a aumentar a visibilidade dos seus diversos negócios. Deste modo, para além da informação consolidada, serão apresentadas secções individuais nos Negócios Domésticos para "Negócios da Rede Fixa" (incluindo o total do portfolio de Serviços da "Portugal Telecom + Marconi + Telepac"), "Negócio Celular" (TMN) e "Televisão por Cabo" (TV Cabo Portugal), e, nas Actividades Internacionais para a "Telesp Celular". Alguma informação histórica é disponibilizada sob o mesmo formato. "Esperamos que o mercado aprecie a nossa nova política de apresentação", referiu o Administrador Financeiro, Dr. Mata Costa. A SÍNTESE Resultado Consolidado Líquido do exercício ascendeu a 88,4 milhões de contos (441 milhões de Euros* ) comparativamente a 70,1 milhões de contos em 1997, traduzindo um crescimento de 26%. As principais contribuições foram: Negócios da Rede Fixa em Portugal: 67,6 milhões de contos (337 milhões de Euros) em relação a 60,2 milhões de contos em 1997, um aumento de 12,2%, representando 76,4% do total. Negócio Celular em Portugal: 20,2 milhões de contos (101 milhões de Euros) relativamente a 11,6 milhões de contos em 1997, equivalente a um acréscimo de 74,3%, correspondendo a 22,8% do total. Os Negócios da Televisão por Cabo em Portugal contribuíram negativamente com 2,9 milhões de contos (14,6 milhões de Euros), face a 3,8 milhões de contos negativos em 1997. Telesp Celular: 3,4 milhões de contos (17 milhões de Euros), ou 3,9% do total. Relativamente aos Restantes Negócios e Resultados observou-se uma contribuição negativa de 165 mil contos (0,8 milhões de Euros), em comparação com 2,1 milhões de contos de 1997. Este item inclui o efeito negativo dos resultados financeiros, a amortização do goodwill relativo à aquisição da Telesp Celular, ascendendo a 14,7 milhões de contos, sendo parcialmente compensado pelos ganho de 15,5 milhões de contos resultante do aumento de capital da TV Cabo Portugal, subscrito por terceiros, de que resultou uma redução da participação financeira da Portugal Telecom de 6%. O Resultado Líquido por Acção (e ADS) ascendeu a 465 escudos (2,32 Euros) face a 369 escudos em 1997. O Conselho de Administração da Portugal Telecom irá propor na próxima Assembleia Geral um dividendo bruto de 202 escudos por acção (e ADS), correspondente a um Dividend Yield de 2,6% (2,1% em 1997). O Resultado Antes de Amortizações, Impostos e de Juros (RAAIJ) ascendeu a 316,8 milhões de contos (1.580 milhões de Euros) que compara com 254,5 milhões de contos em 1997, um acréscimo de 24,5%, correspondendo a uma Margem Bruta de 52,9% face a 46,3% em 1997. O Resultado Antes de Impostos e Juros (RAIJ) passou de 140,8 milhões de contos em 1997 para 194,3 milhões de contos (969 milhões de Euros), um aumento de 38,1%. A Margem Operacional foi de 32,4% em comparação com 25,6% em 1997. A Margem Líquida cifrou-se em 14,8% face a 12,8% em 1997. As Receitas Consolidadas de Exploração no ano de 1998 totalizaram 599,3 milhões de contos (2.990 milhões de Euros) comparativamente a 549,4 milhões de contos em 1997, traduzindo um crescimento de 9,1%. As Receitas do Mercado Doméstico cifraram-se em 558,3 milhões de contos (2.785 milhões de Euros) e as Receitas das Actividades Internacionais representaram 6,9% do total das receitas consolidadas, atingindo 41,1 milhões de contos (205 milhões de Euros) contra 21,5 milhões de contos em 1997. A Rentabilidade do Capital Próprio situou-se em 21,2% em 1998 em comparação com 17,3% no ano anterior. O Cash Flow ascendeu a 242,3 milhões de contos em 1998 (1.208 milhões de euros) face a 213,9 milhões de contos, correspondendo a um aumento de 13,2%. O Investimento Total, incluindo os investimentos financeiros, totalizou 746,6 milhões de contos (3.724 milhões de Euros) em comparação com 174,4 milhões de contos no ano transacto. A Dívida Líquida cifrou-se em 729,9 milhões de contos (3.640 milhões de Euros) contra 190,2 milhões de contos no final do ano de 1997. No ano de 1998 a Base de Clientes Nacional da Portugal Telecom aumentou em cerca de 1.045.615, atingindo 7,3 milhões de acessos em serviço o que resulta numa penetração de 73 por 100 habitantes dos quais 5,3 milhões nos acessos fixos, ou 53 por 100 habitantes. O número de clientes no negócio celular ascendeu a 1.426 mil (mais 664 mil novos clientes em 1998, um acréscimo de 87%), enquanto que na Televisão por Cabo o número de clientes foi de 597 mil (mais 226 mil novos clientes, ou seja, um crescimento de 61%. A Telesp Celular, a maior empresa celular da América Latina, na qual a Portugal Telecom tem o controlo de gestão e detém uma participação económica de 10%, apresentava, no final do ano, 1,8 milhões de clientes. Ao longo do ano de 1998, o número de trabalhadores afectos aos negócios da rede fixa reduziu-se em 694 trabalhadores, ou seja, menos 3,9%. * 1 Euro = Esc. 200,482. Um ADS é equivalente a uma acção ordinária.
2,783