NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Parque de acessos telefónicos fixos cresce no 3º trimestre de 2009

Parque de acessos telefónicos fixos cresce no 3º trimestre de 2009

sexta-feira, 04 dezembro, 2009 /
Parque de acessos telefónicos fixos cresce no 3º trimestre de 2009 O parque de acessos telefónicos principais instalados a pedido de clientes no final do 3º trimestre de 2009 ascendia a 4.198 milhares de acessos O parque de acessos telefónicos principais instalados a pedido de clientes no final do 3º trimestre de 2009 ascendia a 4.198 milhares de acessos - correspondendo a uma penetração de cerca de 38,5 acessos por 100 habitantes - mais 1% que no trimestre anterior, e mais 1,5% em termos homólogos. A diminuição dos acessos analógicos e a redução verificada nos acessos RDIS básicos e fraccionados foram compensadas pelo crescimento dos acessos suportados em outras tecnologias, nomeadamente, GSM e VoIP. Para o aumento contribuíram também as novas adesões a ofertas multiple play. As empresas do Grupo Portugal Telecom que actuam nestes mercados continuam a deter a maioria dos acessos instalados - 65,1% do total dos acessos instalados a pedido de clientes, menos 1 ponto percentual do que no trimestre anterior e menos 3,6 pontos percentuais em termos homólogos. Dos 34,9% que estão nas mãos dos operadores alternativos, a Sonaecom tem 15,4%, o grupo Zon tem 9,5%, a Cabovisão tem 5,9%, a Vodafone tem 2%, a Oni tem 1,1%, a Ar Telecom tem 0,8% e os restantes operadores 0,2%. O número de clientes de serviço telefónico fixo na modalidade de acesso directo rondava 3, 286 milhões, mais 1% que no trimestre anterior, e mais 4,6% em termos homólogos. O aumento deve-se às ofertas em pacote que integram telefonia fixa, televisão por cabo e/ou Internet e às ofertas de prestadores alternativos suportadas em tecnologia GSM. Este foi o quarto trimestre consecutivo em que se registou um aumento do número de clientes de acesso directo. O acréscimo do número de clientes ocorreu em simultâneo com um decréscimo no número de clientes de acesso directo do Grupo PT (-1,8% face ao trimestre anterior e -5,6% em termos homólogos). Quanto ao acesso indirecto através de pré-selecção, este registou uma descida de 6,1% no número de clientes, atingindo um valor de cerca de 151 mil clientes, o valor mais baixo registado desde 2001. Em termos homólogos, o número de clientes de pré-selecção diminuiu 22,4%. Esta evolução é explicada pela aposta dos novos prestadores em modelos de negócio com melhores perspectivas de rentabilidade e pelas novas ofertas tarifárias do operador histórico. No que diz respeito aos clientes de VoIP nómada, existiam no final de Setembro cerca de 118,6 mil clientes activos, menos 4,7% do que no trimestre anterior. Desde o início de 2009 que o número de clientes de VoIP nómada tem vindo a cair, o que se explica pelo facto de um operador ter migrado um conjunto significativo dos seus clientes para outro tipo de soluções de telefonia vocal. O grupo PT tinha no final de Setembro uma quota de clientes de acesso directo de 59%, menos 1,7 pontos percentuais que em Junho e menos 5,6 pontos percentuais em termos homólogos. Esta redução da quota resulta essencialmente das novas ofertas dos prestadores alternativos, baseadas em tecnologias de acesso distintas do Serviço Telefónico Fixo tradicional, sobretudo das ofertas em pacote. A Sonaecom tem 17,5% dos clientes de acesso directo, seguindo-se a Zon com 11,4%, a Cabovisão com 7,2% e a Vodafone com 3,9%. A Ar Telecom tem 0,8% de quota e os outros operadores alternativos têm 0,2%. O tráfego total de voz originado na rede fixa durante o 3º trimestre rondou 1.956 milhões de minutos, resultantes de cerca de 618 milhões de chamadas, valores que traduzem uma quebra de 3,4% e 3,9%, respectivamente, face ao trimestre anterior. A quebra homóloga foi de 0,5% em minutos, e de 4,7% em volume de chamadas. No tráfego em minutos, a descida homóloga é explicada, sobretudo, pela redução significativa do tráfego fixo-móvel (-9,4%), mas também pela queda acentuada do tráfego de acesso à Internet dial-up (-33,8%), motivada, entre outras razões, pela forte expansão do acesso à Internet através de tecnologias de banda larga. No que respeita ao tráfego em chamadas, a descida face ao período homólogo deve-se à redução do tráfego de voz tradicional. O tráfego associado ao serviço de VoIP nómada viu o seu peso diminuir relativamente ao tráfego total, representando 3,2% dos minutos e 2% das chamadas. Salienta-se que, pela segunda vez consecutiva desde o seu lançamento, o serviço de VoIP nómada apresentou uma redução ao nível do tráfego, tanto em termos de minutos como em termos de chamadas. No trimestre em análise, a tendência de diminuição dos valores das quotas de tráfego de voz do Grupo PT manteve-se, tanto em termos de minutos (62,7%), como em termos de chamadas (64,1%). A Sonaecom tinha 15,1% do tráfego em minutos, a ZON 8,1%, a Vodafone 6,1%, a Cabovisão 3,5%, a Oni 2,4% e a Ar Telecom 1,5%.
2,759