NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Optimus pede ao ICP auditoria

Optimus pede ao ICP auditoria

sábado, 06 fevereiro, 1999 /
A Optimus pediu ao Instituto das Comunicações de Portugal (ICP) uma auditoria aos três operadores de telemóveis nacionais para averiguar o número de clientes de cada um. A Optimus pediu ao Instituto das Comunicações de Portugal (ICP) uma auditoria aos três operadores de telemóveis nacionais para averiguar o número de clientes de cada um, depois de Iriarte Esteves, o presidente da TMN, ter duvidado dos indicadores divulgados pelo operador de Belmiro de Azevedo. O ICP, no entanto, não vai atender ao pedido. Pelo menos para já. Até porque na agenda do órgão regulador do mercado está uma reunião, na próxima semana, com os três operadores para "afinar os critérios de uniformização da contabilização", referiu ao DN uma fonte do ICP. Na base da polémica estão afirmações proferidas pelo presidente da TMN numa conferência deImprensa. Depois de a Optimus ter anunciado 278 mil clientes no final de 1998, Iriarte Esteves duvidou, dizendo que o operador não teria mais do que 125 mil. Para a Optimus, tais declarações lançam "um véu de suspeição sobre a transparência do mercado das telecomunicações móveis", daí o pedido ao ICP, para que se "contribua para o esclarecimento de todas as dúvidas que aquelas declarações possam ter suscitado no público consumidor". Contactada pelo DN, a TMN prefere não tecer comentários sobre o pedido da Optimus. O operador do grupo PT garantiu, no entanto, que estaria aberto a qualquer auditoria. A Telecel, por seu turno, concordaria com a auditoria, até porque "há muito tempo que lutamos por uma uniformização dos métodos de contabilização dos clientes". Para a empresa presidida por António Carrapatoso, um dos problemas da falta de transparência no sector está nos diferentes critérios de contagem. O ICP explicou ainda ao DN que, apesar de não proceder já a uma auditoria, efectua um trabalho contínuo de monitorização do mercado, pelo que tal seria desnecessário. Todos os trimestres são contabilizados os números de clientes de telemóveis. O instituto vai anunciar,segunda-feira, que já há mais de três milhões. Mais precisamente, 3 074 600 por Ricardo Salvo
2,643