NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
O conceito de Google Store é estranhamente familiar

O conceito de Google Store é estranhamente familiar

segunda-feira, 18 fevereiro, 2013 /
O conceito de Google Store é estranhamente familiar

Afinal a Apple estava certa: depois da empresa de Tim Cook, da sua rival Samsung e da Microsoft, é a vez da Google ter a sua própria cadeia de lojas.

A Google parece ter-se rendido à ideia de ter as suas próprias lojas para disponibilizar os seus próprios produtos, de acordo com as informações avançadas pelo Venture Beat. Se este conceito parecer familiar, não estranhem: o conceito foi popularizado pela Apple e já contagiou gigantes como a Samsung e a Microsoft, que também estão a apostar nas suas próprias lojas.

E o que esperar de uma potencial Google Store? À partida será um local físico onde poderemos encontrar produtos exclusivos da gigante norte-americana. Imaginem uma Apple Store, só que em vez de vender Macs e iPhones venderia Google Nexus e Chromebooks, além de possivelmente disponibilizar apoio técnico a tudo o que estiver relacionado com Android. As lojas físicas da Google, contudo, só deverão chegar aos EUA no final de 2013, não estando prevista para breve a sua chegada à Europa.

O conceito de Google Store é estranhamente familiar

É caso para dizer que é uma estratégia que certamente deve trazer os seus frutos: a Apple, por exemplo, já conta com mais de 400 lojas presentes em mais de 12 países, estando previstas a abertura de mais 30 Apple Stores durante 2013; já a Microsoft abriu até à data cerca de 51 Microsoft Stores ao longo de 2012, estando previstas para breve a abertura de mais seis lojas próprias.

O que acham os leitores? Acham que faz sentido as empresas controlarem a venda dos seus produtos desta forma? Deixem-nos o vosso feedback!

3,391