NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
O Bom o Mau e o Péssimo

O Bom o Mau e o Péssimo

quinta-feira, 11 dezembro, 2014 /
O Bom o Mau e o Péssimo

Quem utiliza as Redes Sociais, sabe que a qualquer momento pode tornar-se famoso e até milionário (em poucos dias)


Tudo está à distância de uma (ou milhões de) partilha(s) e se tudo se conjugar a seu favor, o “euromilhões” pode mesmo estar no “teu” próximo filme a cair de um skate. O problema é que nem tudo tem um lado Bom, existem pelo menos mais dois lados que são separados por uma linha muito muito muito ténue.

O que pode acontecer nas Redes Sociais pode ser classificado em 3 níveis. O Bom, o Mau e o Péssimo. Vejam os seguintes exemplos e percebam de que maneira as Redes Sociais influenciam a vida das pessoas e do mundo em geral.


O Bom: Colocaram um filme teu no Youtube, é visto por 1 milhão de pessoas e pagam-te para seres a cara de uma marca.
O Mau: Colocaram um filme teu no Youtube, achas que é genial e que vais ficar famoso, é visto por 100 pessoas, entras em depressão.
O Péssimo: Colocaram um filme teu no Youtube, estás nu, tinhas acabado de sair da piscina, no inverno, é visto por 1 milhão de pessoas.


O Bom: Organizas uma manifestação através das Redes Sociais. 1 milhão de pessoas aderem, és entrevistado para a televisão e és considerado um jovem influenciador. Mudas o país.
O Mau: Organizas uma manifestação através das Redes Sociais. 1 milhão de pessoas aderem e fazem um arrastão na Expo. Tens de fugir da televisão e escondes-te em casa durante 3 meses.
O Péssimo: Organizas uma manifestação através das Redes Sociais. Ninguém adere, cancelas, passas o resto dos teus dias a jogar computador.


O Bom: Crias uma página no Facebook com conteúdo novo e inovador. Tens 1 milhão de fãs, uma marca e tornas-te num dos mais jovens empreendedores do país, milionário aos 16 anos.
O Mau: Crias uma página no Facebook com conteúdo novo e inovador. Tens 50 mil fãs, roubam-te a página e ficas chateado.
O Péssimo: Crias uma página no Facebook com conteúdo novo e inovador. Tens 1 milhão de fãs, roubam-te a página e fazem uma fortuna a partir dela e não vês nenhum desse dinheiro.


O Bom: Tens um gato, colocas fotos dele nas Redes Sociais, ele fica famoso e ganhas 100 milhões de euros.
O Mau: Tens um gato, colocas fotos dele nas Redes Sociais, o gato desapareceu, foi raptado por ser tão fofinho.
O Péssimo: Tens um gato, ele só come e dorme e não é fotogénico.


O Bom: Filmas e editas um filme sobre Lisboa, é viral nas Redes Sociais, convidam-te para trabalhar para um canal de televisão, és o exemplo para muitos jovens e só tens 23 anos.
O Mau: Filmas e editas um filme sobre Lisboa, é viral nas Redes Sociais, trocam o nome do autor em todos os artigos “online”, ninguém sabe quem tu és.
O Péssimo: Filmas e editas um filme sobre Lisboa, é viral nas Redes Sociais mas a partir de uma conta Youtube que não é a tua, outro que não tu fica famoso e ganha um emprego num canal de televisão.


As Redes Sociais podem e mudam as pessoas e o mundo, o problema é que existem demasiadas variáveis incontroláveis para te levar ao sucesso. Sim, uma boa ideia, será sempre uma boa ideia mas o que acontece depois de surgir uma boa ideia ou simplesmente algo criativo e diferente no universo “Redes Sociais” nada nem ninguém consegue prever.

A única verdade é que o teu maior “FAIL” pessoal pode ser o teu maior sucesso nas Redes Sociais e o teu maior sucesso pessoal pode ser o maior FAIL nas Redes Sociais.

5,120