NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Jazztel faz frente à PT

Jazztel faz frente à PT

terça-feira, 05 março, 2002 /
A operadora privada de telecomunicações Jazztel quer entrar em força no mercado ibérico. O anúncio do Governo chefiado por António Guterres de querer vender a rede fixa à Portugal Telecom fez aguçar o apetite dos restantes operadores privados de telecomunicações fixas. Na altura (finais do ano passado), houve uma certa contestação pelo facto da PT ser o comprador privilegiado, mas não houve soluções alternativas aos 20 milhões de contos falados como preço a pagar.

Desta vez, surge a Jazztel como grande adversário da PT na disputa pela concessão da tão desejada rede fixa. Mas a forma como apresenta a sua candidatura é ainda mais impressionante, fazendo lembrar a velha máxima do "Manifesto do Partido Comunista", de Karl Marx, "operadores privados de Portugal, Uni-vos!"

Ao contrário do "dividir para reinar", a Jazztel acredita que pode ser no esforço de todos os operadores privados que esteja a solução para combater o domínio da PT na rede fixa. Para isso, Martin Varsavki, presidente da companhia, afirmou que a sua filial portuguesa já encetou contactos com os parceiros nacionais, detentores igualmente de uma licenção para rede fixa (Oni e Novis), para aumentar a dimensão da oferta e concorrer directamente com a PT.

A situação só não foi ainda resolvida uma vez que o governo liderado por António Guterres está demissionário, ficando para depois de 17 de Março a solução do enigma "quem vai ficar com a concessão da rede fixa portuguesa?" Mas fica o aviso: a concorrência está à perna da PT e em força!
3,059