NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Há alguns 'mas' na fusão entre a Optimus e a ZON

Há alguns 'mas' na fusão entre a Optimus e a ZON

sexta, 12 abril, 2013 /
Há alguns 'mas' na fusão entre a Optimus e a ZON

A ANACOM já aprovou a fusão entre a Optimus e a ZON, mas deixou algumas recomendações a serem consideradas. A PT, a Vodafone e a Cabovisão já se manifestaram contra-interessadas na operação.

Irá haver uma fusão entre a Optimus e a ZON? Provavelmente, até porque a ANACOM - Autoridade Nacional de Comunicações - já aprovou a operação entre as duas empresas, mas não sem deixar algumas recomendações a serem consideradas, segundo o Público, para evitar 'distorções no mercado'.

E qual será o impacto de uma fusão entre a Optimus e a ZON? 'A junção de operações das duas companhias dará origem à segunda maior empresa do sector das telecomunicações' em Portugal, numa prática contra a qual a Portugal Telecom, a Vodafone e a Cabovisão se manifestaram 'como contra-interessadas (activos de voz fixa e móvel, Internet e televisão)' junto da Autoridade da Concorrência.

Há alguns 'mas' na fusão entre a Optimus e a ZON

'Ao contrário do que frequentemente tem sido dito, não estamos perante um mero passeio no parque em termos de concorrência', segundo Ricardo Bordalo Junqueiro, da VVA & Asssociados (que transmite as opiniões e representa a PT na Autoridade da Concorrência). 'Estão em causa dois importantes players do sector das comunicações electrónicas cuja fusão poderá afectar a dinâmica concorrêncial do mercado'. Já Mário Vaz, director-executivo da Vodafone, manifesta reservas nesta fusão por considerar haver a possibilidade de um 'agravamento da situação de duopólio no fixo'. A opinião destas duas entidades não parece ser necessariamente partilhada pela ANACOM, já que anteriormente se mostrava favorável a esta fusão por considerar que pode 'restabelecer o equilíbrio das forças no mercado das telecomunicações', de acordo com as declarações de Fátima Barros, presidente da ANACOM, pronunciadas em Janeiro deste ano.

Quanto às recomendações da ANACOM em relação a esta fusão, centram-se essencialmente no mercado das telecomunicações, da qual é a entidade reguladora, sugerindo medidas que se mantenham equilibradas perante a concorrência. Anteriormente já terão sido levantadas questões em relação ao imacto de uma fusão Optimus-ZON no segmento da televisão em Portugal, mas a Entidade Reguladora para a Comunicação Social considerou que a posição da Optimus neste mercado não é relevante, não tendo imposto reservas. Mas 'as dúvidas versaram [também] sobre os conteúdos: distribuição e exibição cinematográfica, venda de DVD, canais de informação', afirma o Público.

4,137