NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Demasiado Facebook faz mal à felicidade, diz estudo

Demasiado Facebook faz mal à felicidade, diz estudo

sexta-feira, 16 agosto, 2013 /
Demasiado Facebook faz mal à felicidade, diz estudo

Utilizar abusivamente o Facebook pode ter resultados opostos aos pretendidos: investigadores norte-americanos concluem que demasiado Facebook pode causar uma sensação de infelicidade aos utilizadores

Ser feliz ou não ser, eis a questão: a rede social mais popular do mundo, que conta com mais de mil milhões de utilizadores em todo o mundo, pode estar a fazer mais mal do que bem. De acordo com uma equipa de investigadores norte-americanos especializados em psicologia social, o Facebook pode revelar-se prejudicial para os índices de felicidade dos seus utilizadores mais abusivos.

Por outras palavras, isto significa que os utilizadores que não conseguem passar sem a rede social de Mark Zuckerberg - e que o utilizam praticamente a toda a hora - poderão apresentar uma maior tendência para se sentirem infelizes do que os utilizadores que passam menos tempo conectados.

O estudo envolveu um universo de apenas 82 utilizadores, um número muito pouco expressivo, mas as conclusões podem permitir-nos reflectir sobre o real impacto que o tempo que dispensamos aos nossos alter-egos online tem. A infelicidade não é, aliás, o único efeito negativo associado ao uso intensivo da rede social.

"À primeira vista, o Facebook disponibiliza um recurso inestimável para satisfazer a necessidade humana de conexão social. Mas mais do que optimizar o bem-estar, descobrimos que o uso do Facebook produz o resultado oposto - enfraquece-o", refere Ethan Kloss, um dos investigadores. Os interessados poderão consultar o estudo aqui.

Concordam com as conclusões do estudo? Conhecem alguém que considerem enquadrar-se no perfil de utilizador abusivo da rede social? Deixem-nos o vosso feedback!

Uso abusivo do Facebook ligado a infelicidade, diz estudo

4,446