NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Anacom anuncia resultados do estudo sobre qualidade das redes móveis

Anacom anuncia resultados do estudo sobre qualidade das redes móveis

quarta-feira, 18 fevereiro, 2004 /
Anacom anuncia resultados do estudo sobre qualidade das redes móveis A qualidade áudio sofreu uma degradação face ao ano anterior e a 2001, aproximando-se dos níveis mais baixos recolhidos em 2000, data em que a Anacom estudou a qualidade das redes pela primeira vez. As recolhas efectuadas pelo regulador das comunicações permitem constatar a existência de uma melhoria do nível de acessibilidade das redes, isto é, do número de chamadas efectuadas com sucesso. Das cerca de 15 mil chamadas de teste estabelecidas através das três redes móveis no estudo de 2003, 97,6% foram mantidas com sucesso durante 100 segundos, o tempo pré-determinado para cada ligação. No ano anterior, recorde-se, essa percentagem ficara em 95,9%, não ultrapassando 95,1% em 2000 e 2001. Notou-se, ainda, a inexistência de diferenças significativas de acessibilidade das redes nos aglomerados urbanos e nos eixos rodoviários. O mesmo se passou com os níveis de cobertura, homogéneos nos eixos e nos aglomerados. A qualidade audio, em contrapartida, sofreu um movimento contrário em 2003, mostrando uma degradação face ao ano anterior e a 2001 e aproximando-se dos níveis mais baixos recolhidos em 2000, data em que a Anacom estudou a qualidade das redes pela primeira vez. Assim, na globalidade das três redes em 2003 apenas 63.9% das ligações estabelecidas apresentou uma qualidade audio considerada boa. Um ano antes, a percentagem das ligações com qualidade boa chegou aos 76,9%. Em 2001, essa percentagem ascendeu a 80,3%. Este estudo realizou-se entre 3 de Novembro e 9 de Dezembro do ano passado e envolveu a realização de chamadas em 30 cidades, incluindo todas as capitais de distrito e áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, e em 10 eixos rodoviários, que foram percorridos várias vezes. Foram despendidas 209 horas em testes e percorridos quase 8 mil quilómetros. A amostra recolhida representa 40% da população portuguesa. As ligações foram estabelecidas de modo automático, com recurso a equipamentos especializados, sem recurso a intervenção humana e em sincronia para as três redes móveis. Consulte o estudo completo, incluindo os resultados desagregados por operador, aqui.
3,612