NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
A Evolução Da Comunicação

A Evolução Da Comunicação

quarta, 27 janeiro, 2016 /
A Evolução Da Comunicação

Do Telegrama Ao Telemóvel, Foi Assim Que A Comunicação Evoluiu


IImagem por: 87seconds
 
 

A comunicação e os modos que de que fazemos uso para contactarmos uns com os outros são essenciais à nossa sobrevivência enquanto sociedade. Como tal, esta autêntica ciência já viu os seus dias serem regados por inúmeras formas e métodos de atingir os seus fins que, ao longo dos anos, sofreu drásticas mudanças.

Vejamos alguns dos principais marcos na história da comunicação, desde os seus primórdios até aos dias de hoje.

Telegrama

 

Em 1684, Robert Hooke realizou as primeiras propostas para a construção de um método que permitisse á população comunicar entre si à distância, resultando na primeira experiência funcional de um telégrafo óptico, que apenas foi construído perto de um século depois pela mão de Sir Richard Lovell Edgeworth em 1767. Poucos anos depois durante a revolução francesa, entre 1790 e 1795, os franceses precisavam de um método de comunicação eficaz e seguro, que lhes permitisse atingir os seus objectivos contra os seus inimigos através da partilha de informação, algo que foi atingido pela mão dos irmãos Chappe em 1790, através da criação de um dispositivo capaz de enviar uma mensagem ao longo de 16 quilómetros que afirmava o seguinte: «si vous réussissez, vous serez bientôt couverts de gloire», ou, «Se tiverem sucesso, irão desfrutar da glória».

Passados alguns anos, surgiu a ideia de utilizar a eletricidade como fonte de envio de mensagens, resultando na construção do primeiro protótipo de um telégrafo elétrico em 1832 por Pavel Shilling, um diplomata Russo que colocou dois protótipos em diferentes divisões de sua casa para provar que o seu conceito de facto funcionava.

Passado apenas um ano, em 1833, Carl Gauss e Wilhelm Weber construíram o primeiro telégrafo eletromagnético capaz de unir o observatório de Göttingen e o Instituto de Física, cobrindo cerca de 1 quilómetro de distância entre ambos. Isto deu origem a uma massificação da tecnologia que culminou na construção e comercialização dos primeiros telégrafos, originando toda uma indústria que se veio a afirmar como essencial à comunicação poucos anos depois.

Inicialmente o telégrafo fazia uso de fios subterrâneos que no final do século XIX foram substituídos pela telegrafia sem-fios, na qual as mensagens eram transmitidas através de ondas de rádio. Neste âmbito, Guglielmo Marconi desempenhou um papel crucial, já que foi através dele que surgiram os primeiros planos para a construção de um telégrafo sem-fios, cujas mensagens eram enviadas e recebidas através de ondas Hertz (rádio).
 

Telegram

Imagem por: Engagespark

Telefone

 

Um dos meios mais amplamente utilizados por todo o mundo e que ainda hoje faz parte de grande parte das casas, o telefone foi a primeira tecnologia que permitiu a transmissão de sons através de sinais elétricos nas vias telefónicas, transformando a chamada energia acústica em energia elétrica (e vice-versa).

A invenção do telefone é largamente disputada e alvo de discussão, já que foram várias as personagens que estiveram envolvidas nas suas primeiras criações. Porém, os créditos são tipicamente atribuídos a Graham Bell, um emigrante escocês a que foi atribuída a patente de registo do telefone elétrico pelo United States Patent and Trademark Office, em Março de 1876.

Posto isto, em 1877 surge o primeiro telefone comercializável, cujo aspecto relembrava uma câmara fotográfica. De seguida surgiram os telefones em formato de vela, os chamados “candlestick phones” que utilizavam um gancho para segurar o telefone que continha um interruptor que desligava a chamada.

Passamos para a década de 30 onde surgiu o formato mais amplamente utilizado com marcadores rotativos, onde os consumidores rodavam as teclas correspondentes aos números de forma a efectuar uma chamada. Este formato permaneceu no activo durante muitos anos, até ao surgimento dos primeiros telefones digitais, mais de 30 anos depois.

Foi muito graças à invenção do transístor, em 1947, que os telefones digitais conseguiram arrebatar o mercado. Com o desenvolvimento do sistema de alternância eletrónica na década de 60, os telefones gradualmente evoluíram para uma era digital, onde se tornou possível digitalizar a voz e transmiti-la em tempo-real, dando origem ao protocolo VoIP (Voice over Internet Protocol).
 

Telefone

Imagem por: Wikipedia

Telemóvel

 

À medida que a era digital começava para os telefones, surgiam novas ideias e conceitos acerca de comunicação sem-fios que vieram originar o famoso telemóvel em 1973, pela mão de Martin Cooper (leia a nossa entrevista, aqui), que inventou e criou o Motorola DynaTAC 8000X, um dispositivo que pesava mais de um quilo e media cerca de 23 cm com uma espessura de 4.45 cm.

Perguntam vocês, e a bateria? Também tinha uma duração insatisfatória como verificamos em grande parte dos smartphones mais recentes?

Sem dúvida.

O Motorola DynaTAC 8000X tinha uma autonomia de 30 minutos e demorava cerca de 10 horas a ser recarregado. Contudo, constituiu um enorme avanço na área das telecomunicações e serviu de mote para muitos telemóveis que vieram a ser criados a posteriori.

Uma das primeiras companhias a obterem largo sucesso nesta nova área, a par da Motorola, foi a Nokia (ver história, aqui) que marcou uma era nas tecnologias móveis com o sucessivo lançamento de telemóveis no decorrer dos anos 90 e 00, e que viria a sofrer uma grande queda a partir da introdução da tecnologia touch que ainda perdura e ao que tudo indica irá perdurar durante muitos mais anos.

Mas voltando um pouco atrás, os telemóveis vieram de facto mudar o paradigma das comunicações em todo o globo devido a vários motivos, sendo o primeiro correspondente à possibilidade de efectuar chamadas on the go e sem necessidade de se manter num local fixo.

Desta forma, os telemóveis começaram a ganhar uma importância hoje em dia desmedida na vida dos utilizadores, sendo ainda alvo de constantes avanços e inovações nas mais diversas áreas que lhes correspondem.
 

DynaTAC

Imagem por: Engadget

Internet

 

Com a internet surgem também novas formas de comunicar, nomeadamente os emails, chats, até chamadas e SMS’s via web. Começando pelos emails, o primeiro deles foi enviado por Ray Tomlinson em 1971, quando trabalhava numa agência chamada ARPANET (Advanced Research Projects Agency Network), que fazia parte do departamento de defesa dos Estados Unidos. Aqui, Tomlinson criou a primeira rede de correios eletrónicos e também enviou o primeiro email.

A integração da internet com serviços móveis não tardou a chegar, sendo hoje em dia uma característica bastante comum em qualquer telemóvel actual. O acesso à internet pode ser feito de diversas formas, entre elas por Wi-Fi ou rede móvel, permitindo o acesso a milhões de possibilidades de comunicação, entre elas aplicações próprias para o efeito como o Viber ou o Whatsapp.
 

Internet

Imagem por: Mashable

Redes Sociais

 

Parte da Internet, as redes sociais são cada vez mais o método predilecto das novas gerações entrarem em contacto entre si. Temos o Facebook que constitui a rede social mais badalada, juntamente com o Twitter e o Intagram que a par do Facebook, vão ganhando cada vez mais audiência. Contudo, o Facebook destaca-se pela presença da aplicação “Messenger” que permite aos utilizadores escreverem (e também falarem) entre si em tempo-real, desde que acedam a um dispositivo que lhes permita o acesso à internet.

Apesar das chamadas típicas constituírem a forma de comunicação mais amplamente utilizada, a ascensão das redes sociais e consigo todas as possibilidades que podem oferecer é cada vez mais notória. É interessante pegar no caso do Facebook Messenger devido à sua evolução ao longo do tempo, particularmente no que respeita a todas as funcionalidades que foram sendo adicionadas e que o tornam hoje num serviço de comunicação de excelência. A par da evolução dos telemóveis que, hoje em dia são tão ou mais potentes que um computador mediano, os principais serviços de comunicação também evoluíram de forma a acompanhar as principais tendências e avanços tecnológicos nas respectivas áreas, resumindo qualquer distância por mais longa que seja, a um simples clique no rato.

Encontramo-nos em 2016 e ainda não conseguimos avistar um fim para utilização das redes sociais como forma de comunicar. Acreditamos até, que brevemente irão constituir a principal forma de comunicação entre utilizadores, deixando quiçá as famosas chamadas e SMS’s completamente de lado.
 

Messenger2016

Imagem por: Newsroom

E vocês, como é que vêem a comunicação daqui a 10, 20 anos? 

7,232