NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
+10% de portugueses online - somos quase 4 milhões

+10% de portugueses online - somos quase 4 milhões

terça-feira, 18 agosto, 2009 /
+10% de portugueses online - somos quase 4 milhões No final de Junho de 2009 existiam em Portugal cerca de 2,95 milhões de utilizadores de Internet de banda larga móvel e cerca de 1,79 milhões de clientes com acessos à Internet fixos, dos quais 1,75 milhões em banda larga. O acesso à Internet em banda larga móvel apresentou um ritmo intenso de crescimento, com o número de utilizadores a aumentar em cerca de 254 mil, ou seja, mais 9,4 por cento do que no trimestre anterior e mais 54 por cento do que trimestre homologo. O número de utilizadores de banda larga móvel activos no período de reporte cresceu cerca de 9%, ascendendo agora a 1,45 milhões de utilizadores, ou seja, 63,8 por cento superior ao verificado no 2º trimestre de 2008. Este número de utilizadores activos representa cerca de 50 por cento do total de utilizadores com acessos móveis, proporção que tem vindo a subir de forma sistemática desde Janeiro de 2007, altura em que se cifrava em aproximadamente 35 por cento. No que concerne ao serviço fixo de acesso à Internet, constata-se que o número total de clientes (cerca de 1,79 milhões) aumentou 3 por cento face ao trimestre anterior e 10 por cento em relação ao trimestre homólogo do ano anterior. Já o número de clientes de acesso dial-up (36 mil) continuou a decrescer em resultado da migração dos utilizadores para a banda larga, com menos cerca de 1.500 que no trimestre anterior. A maioria dos clientes do serviço fixo de acesso à Internet em local fixo utiliza a banda larga, representando cerca de 98 por cento do total de clientes, enquanto o número de clientes dos serviços de banda larga fixa atingiu cerca de 1,79 milhões, mais cerca de 54 mil que no trimestre anterior. Os clientes de banda larga fixa aumentaram a uma taxa de 3,2 por cento face ao trimestre anterior, sendo que em termos homólogos o crescimento se cifrou em cerca de 11,7 por cento. À semelhança do trimestre anterior, este crescimento explica-se sobretudo pela actividade comercial do Grupo ZON, do Grupo PT e da Vodafone. A principal tecnologia de acesso à Internet em banda larga fixa continua a ser o ADSL, que representa 58 por cento do total, 4 pontos percentuais abaixo do máximo registado em Dezembro de 2006. O modem cabo é utilizado por 40,4 por cento dos clientes da banda larga fixa. A rubrica ''outros'', na qual estão incluídas, por exemplo, ofertas baseadas em circuitos alugados, FWA e fibra óptica, e que representa 1,8 por cento do total dos clientes, continua a apresentar crescimentos muito elevados, acima dos 14 por cento, facto que se deve sobretudo às ofertas em pacote baseadas em redes alternativas. No que se refere às quotas de clientes de banda larga fixa, constata-se que o Grupo PT cresceu mais 0,3 pontos percentuais do que no trimestre anterior, situando-se nos 42,8 por cento, o Grupo ZON aumentou, no mesmo período, 0,7 pontos percentuais (correspondendo a 32,3 por cento), sendo que a Vodafone viu a sua quota crescer de 3.2 para 3.5 por cento. Por sua vez, as quotas da Cabovisão e da Sonaecom diminuíram. Os dados ora divulgados mostram, em termos líquidos, um ganho absoluto de clientes por parte de alguns operadores, por oposição à perca de clientes por parte de outros. Assim, entre os operadores que registaram um maior ganho absoluto de clientes destacam-se o grupo ZON, o grupo PT e a Vodafone, com acréscimos de 33,2 mil, 28,7 mil e 6,6 mil novos clientes, respectivamente. Já a Sonaecom e a Cabovisão foram os operadores que mais clientes perderam, em termos líquidos, neste período (7,8 mil e 2,2 mil, respectivamente). Quando se compara evolução do Grupo PT com a evolução do conjunto constituído pelos operadores alternativos (nos quais se inclui o Grupo ZON), verifica-se que a sua quota marginal foi de 53 por cento. Em termos de tráfego de acesso à Internet em banda larga, o presente relatório revela um crescimento de cerca de 11 por cento, explicado sobretudo pela evolução do tráfego da banda larga fixa (+11,5 por cento), o que representa cerca de 95,8 por cento do total. A taxa de crescimento do tráfego fixo é quase 3,6 vezes superior à taxa de crescimento do número de clientes, neste caso muito por força da actividade do Grupo ZON/TV Cabo (com 44,7 por cento de quota) e do Grupo PT (com 32,8 por cento). Por outro lado, o tráfego de acesso à Internet dos acessos móveis (em GB) cresceu 3,1 por cento em relação ao trimestre anterior, com o número de clientes activos desta forma de acesso a aumentar 9 por cento. No final de Junho, a taxa de penetração do acesso à Internet em banda larga situava-se nos 16,5 por 100 habitantes para os acessos fixos e em 27,7 por 100 habitantes para os acessos móveis. No caso dos acessos fixos este valor aumentou 0,5 pontos percentuais relativamente ao registado no trimestre anterior, situando-se 1,7 pontos percentuais acima do registado no final do período homólogo do ano anterior. No que respeita à banda larga móvel, a taxa de penetração cresceu 2,4 pontos no último trimestre.
2,123