NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo

Samsung Galaxy Gear, Samsung Galaxy Note 3 e Samsung Galaxy Note 10.1: só faltou sermos surpreendidos

quinta, 05 setembro, 2013 /
Samsung Galaxy Gear, Samsung Galaxy Note 3 e Samsung Galaxy Note 10.1: só faltou sermos surpreendidos

O Samsung Galaxy Gear, o Samsung Galaxy Note 3 e o Samsung Galaxy Note 10.1 (2014 Edition) foram os três protagonistas mediáticos do universo tecnológico da tarde de ontem. Mas terão merecido todo esse destaque?

Ontem (4 Setembro) foi um dia especialmente interessante para todos os amantes de tecnologias, em especial os seguidores e fãs dos produtos da Samsung: a gigante sul-coreana tinha novidades para todos nós, incluindo uma nova edição da sua cada vez mais popular gama de phablets Samsung Galaxy Note e um relógio inteligente. Precisamente como esperávamos.

É verdadeiramente difícil, nos tempos que correm, manter secretismos ao redor de futuros produtos e lançamentos. A Apple, que outrora foi exemplar neste aspecto, tem vindo a perder o seu rumo e o elemento-surpresa de há algum tempo para cá - exemplo disso são as incontáveis fugas de informação a respeito dos seus futuros iPhones. E a Samsung parece estar a seguir pelo mesmo caminho, ainda que com uma abordagem diferente.

Samsung Galaxy Gear, Samsung Galaxy Note 3 e Samsung Galaxy Note 10.1: só faltou sermos surpreendidos

Para evitar mal-entendidos: a Samsung introduziu produtos fantásticos. Mas não surpreendeu ninguém, pelo menos não quem tem vindo a acompanhar o progresso da gigante tecnológica e observado as suas tendências. Aprofundemos a matéria:

Samsung Galaxy Gear

O Samsung Galaxy Gear foi talvez a maior desilusão da Samsung na IFA Berlim 2013. O mundo aguardava com enormes expectativas a introdução do relógio inteligente da empresa e possivelmente alguma forma de revolução de um segmento de mercado que ainda é relativamente novo. Isso não aconteceu, e ao invés disso fomos brindados apenas com um dispositivo complementar.

Admitimos que a culpa destas expectativas gigantes, aqui, é muito provavelmente nossa e de todos os órgãos de comunicação que têm vindo a fazer referência ao relógio inteligente, um dos nichos dos "wearable devices" que num futuro próximo vão invadir o mercado. Mas pelos vistos não o irão revolucionar, não se a proposta passar por fazer dele um aparelho meramente complementar - ou semelhante - a um smarthone.

O Samsung Galaxy Gear vem equipado com um ecrã Super AMOLED de 1,6 polegadas (320x320), suporta gestos touch e apresenta uma câmara de 4 MP. Permite, entre outras funcionalidades, ter rápido acesso aos feeds de notícias das redes sociais, a e-mails e, inclusive, receber chamadas sem termos que tirar o smartphone do bolso. Mas estas funcionalidades, ainda que agradáveis, não surpreendem.

Samsung Galaxy Gear, Samsung Galaxy Note 3 e Samsung Galaxy Note 10.1: só faltou sermos surpreendidos

De facto, um aspecto negativamente surpreendente neste dispositivo, que se espera vir a ser comercializado por valores acima dos 200 euros (quem sabe até 300), está na sua pouco impressionante autonomia de bateria: 25 horas, o que significa que uma utilização razoavelmente intensiva poderá inutilizar a utilização do Galaxy Gear em menos de um dia útil. E isto simplesmente não é admissível.

Também o leque de smartphones com que é compatível parece ser relativamente limitado, e por enquanto as únicas referências feitas são o Samsung Galaxy S3, S4, Note 2 e Note 3, entre poucos mais.

O Samsung Galaxy Gear é um conceito com enorme potencial, mas cujo aproveitamento não parece ter sido feito a 100%. Deixa-nos a pensar que mais valia a Samsung se ter adiado neste segmento de mercado para lançar um produto verdadeiramente "wow".

Samsung Galaxy Note 3

A situação muda ligeiramente de figura com o Samsung Galaxy Note 3. Novamente, a Samsung não apanhou ninguém de surpresa: a introdução do rei dos phablets era mais do que esperada, tendo sido inclusive confirmada pela própria Samsung. Também se esperava que mantivesse as características dos seus antecessores, excepto com hardware mais artilhado para o actual cenário em 2013. Não estávamos enganados.

O Samsung Galaxy Note 3 é gigante: apresenta um ecrã Super AMOPLED de 5.7 polegadas com resolução Full HD. A actual tendência para os ecrãs gigantes tem vindo a comprovar que a Samsung estava certa em 2011 quando resolveu dar origem ao nicho dos "phablets". O Samsung Galaxy Note 3 também apresenta 3 GB de RAM, uma câmara de 13 MP capaz de gravar tanto em full HD como em 4K, e um processador quad-core de 2.3 GHz. Corre Android 4.3 Jelly Bean.

E claro, a S-PEN faz deste aparelho não só uma excelente forma de consumir multimédia em deslocações, mas também o candidato ideal para qualquer tipo de utilização profissional que lhe possamos vir a dar. A aposta da Samsung em aplicações exclusivas para a S-PEN vem reforçar isto.

Samsung Galaxy Gear, Samsung Galaxy Note 3 e Samsung Galaxy Note 10.1: só faltou sermos surpreendidos

Samsung Galaxy Note 10.1 (2014 Edition)

O Galaxy Note 10.1 foi talvez a surpresa mais inesperada da Samsung para esta IFA Berlim 2013. O motivo: pegou num tablet razoável e converteu-o numa autêntica besta em termos de hardware e especificações. O Samsung Galaxy Note 10.1 é o tablet que vamos querer ter connosco em ocasiões como viagens longas, já que apresenta um ecrã com uma elevadíssima resolução para vermos conteúdos em HD, mas também em contextos de lazer (a S-PEN é uma ferramenta fantástica para desenhar) ou profissionais.

O Samsung Galaxy Note 10.1 apresenta um ecrã LCD com 2560 x 1600 de resolução (com 299 ppi), processador quad-core de 2.3 GHz e 3 GB de RAM.

Samsung Galaxy Gear, Samsung Galaxy Note 3 e Samsung Galaxy Note 10.1: só faltou sermos surpreendidos

4,222