NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo

Porque é que a Xiaomi é um caso de sucesso

terça-feira, 23 abril, 2013 /
Porque é que a Xiaomi é um caso de sucesso

Mesmo que isso implique que nunca tenham ouvido falar na Xiaomi. Esta empresa chinesa produz smartphones de qualidade equivalente à do Samsung Galaxy S4, só que muito mais baratos.

Já alguma vez ouviram falar na Xiaomi? Se a resposta for 'não', então passemos a contextualizar esta empresa: a Xiaomi é uma fabricante de smartphones chinesa relativamente desconhecida para o mercado ocidental, mas que nos últimos dois anos tem vindo a adquirir popularidade graças aos seus produtos. O motivo? O facto de produzir topos-de-gama bastante apetecíveis e a preços que podem rivalizar, pelo menos no mercado europeu, com o de smartphones de gamas médias. A empresa só conta com três anos no activo, mas já conta com mais de 7 unidades de smartphones vendidos no seu portefólio, e tudo isto são dados relativos a 2012. Mais impressionante ainda: não houve qualquer campanha de marketing nem distribuição em cadeias de retalho.

Como explicar, portanto, o crescimento da empresa? Foi o que o director executivo da Xiaomi, Bin Lin, fez durante a conferência All Things Digital. 'A forma como nós vendemos online é transparente', referiu. 'Dizemos aos utilizadores tudo sobre o telefone. Damos-lhes informações completas sobre o CPU, ecrã, que utiliza uma bateria da LG. Damos-lhes o bom e o mau. E dizemos-lhes como é que vamos concertar o mau'.

Bin Li é o CEO da Xiaomi, imagem cortesia da CNET

Porque é que a Xiaomi é um caso de sucesso

O primeiro smartphone da Xiaomi foi lançado em 2011, tendo o segundo modelo sido lançado em Agosto do ano passado. A empresa, que não tem qualquer verba para marketing ou publicidade, refere ser comum esgotar 300 mil unidades online numa questão de meros minutos. E se em 2012 as vendas de 7 milhões de unidades se traduziram em 2 mil milhões de dólares em lucros, as expectativas para este ano não poderiam ser mais positivas - a Xiaomi tem como meta vender cerca de 15 milhões de dispositivos.

Mas há riscos, segundo o CEO - a empresa ressente-se financeiramente quando introduz os telefones. As únicas alterações feitas são os custos das componentes para os dispositivos, o que significa que eles conseguem vender os seus smartphones por preços equivalentes a valores inferiores a 400 dólares por unidade. A forma de tornar o seu negócio verdadeiramente rentável? O CEO da empresa acredita ser através da venda de acessórios e serviços.

Por cá falámos recentemente de um dos smartphones da Xiaomi, que deu especialmente que falar por alegadamente ter ultrapassado o Samsung Galaxy S4 em termos de performance, nos popularíssimos rankings benchmark para dispositivos Android.

4,008