NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo

Poderia a publicidade online afectar a vida sexual dos utilizadores?

segunda-feira, 22 abril, 2013 /
Poderia a publicidade online afectar a vida sexual dos utilizadores?

De acordo com os resultados de um estudo da InsightsOne, sim: de facto, cerca de 19% dos inquiridos afirma que um mau anúncio na Internet é suficiente para perderem apetite sexual.

Alguma vez odiaram tanto um anúncio online que tenham sentido que isso prejudicou, de alguma forma, a vossa vida? É que talvez seja mais comum do que pensam. Segundo estas informações avançadas pela CNet, por exemplo, cerca de 70% dos norte-americanos têm um certo ódio visceral a anúncios pop-up e a publicidade relativa a lotarias. Mas  o 'não gostar', ou até mesmo o próprio ódio, parecem não ser suficientes. O impacto destes anúncios é mais profundo.

De acordo com os dados divulgados por um estudo da InsightsOne, que pretendeu ver quais os efeitos da publicidade nos utilizadores norte-americanos, cerca de 51% dos inquiridos afirmou que a publicidade online foi o suficiente para interromper a sua sessão na Internet. Por outro lado, 37% afirmou ter parado de tentar fazer compras online após terem tido contacto com publicidade online, ao passo que houve inclusive utilizadores que afirmaram que a publicidade online afectou a sua produtividade e qualidade do sono.

Poderia a publicidade online afectar a vida sexual dos utilizadores?

O curioso, contudo, é que uma percentagem relativamente interessante - 19% dos inquiridos - parece ter afirmado que a publicidade online parece ter tido impacto prejudicial na sua vida sexual.

As questões que este estudo parece levantar, contudo, não se prende sobre o real impacto que um mau anúncio online pode ter na vida dos seus utilizadores, ou até mesmo sobre a credibilidade das informações divulgadas. É na importância que a publicidade online parece ter para empresas como a Google, entre outras gigantes da Internet, que 'sabe' qual é o melhor tipo de publicidade para os seus utilizadores. Poderia isso conferir à gigante norte-americana o poder de destruir a vida sexual de milhões de utilizadores? Possivelmente a InsightsOne poderia fazer-nos crer que sim.

2,730