NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Telemóveis afectam cérebro

Telemóveis afectam cérebro

sexta-feira, 06 dezembro, 2002 /
Telemóveis afectam cérebro A Universidade de Zurique conseguiu fazer prova de que os telemóveis afectam, de facto, as actividades cerebrais. Resta saber se de forma prejudicial. A equipa que se dedicou ao estudo mediu a actividade do cérebro no momento em que este estava exposto às radiações emitidas por telemóvel em funcionamento e, através de um electroencefalograma, verificou-se que o fluxo sanguíneo no cérebro aumenta substancialmente. O teste foi feito com uma exposição de trinta minutos, utilizando radiações cujos valores estão abaixo dos que são permitidos por lei.

Desta forma ficou provado, de uma vez por todas, que as ondas de alta frequência emitidas pelos telemóveis afectam o cérebro, embora essa dúvida já estivesse praticamente dissipada. O que fica por provar e é isso que mais interessa ao consumidores, é se as influências comprovados são prejudiciais ou não à saúde pública. O líder da equipa que conduziu os testes, Peter Achermann, disse que "ainda é muito cedo para se tirarem conclusões sobre os efeitos das radiações na saúde humana", não colocando de parte que este tipo de raios possam ser, até, utilizados para fins médicos e terapêuticos.
4,481