NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Samsung: 4 factos sobre a gigante sul-coreana em 2013

Samsung: 4 factos sobre a gigante sul-coreana em 2013

quinta-feira, 07 novembro, 2013 /
Samsung: 4 factos sobre a gigante sul-coreana em 2013

De uma coisa pode ter a certeza: Samsung já esteve mais longe de ser um sinónimo de "muito, muito dinheiro"

Se está a ler este artigo é muito provável que a Samsung lhe seja um nome relativamente familiar. Não é para mais: a empresa sul-coreana faz justiça ao termo "gigante" e o seu crescimento não apresenta sinais de abrandar tão cedo.

A Samsung dá que falar por inúmeros motivos: é uma empresa mediática, apresenta recursos quase ilimitados que dispensa livremente em campanhas de marketing bem-sucedidas, lança produtos bem-sucedidos no mercado, lança ainda mais variantes desses mesmos produtos para garantir que consegue agradar a gregos e a troianos, aposta em diversos segmentos de mercado e, inclusive, em diversas plataformas móveis.

Mas até que ponto, exactamente, é a Samsung grande? É possível medir esse gigantismo? O que há a dizer sobre a Samsung de 2013?

Veja também: O tamanho importa: Samsung Galaxy Note 3 vende 5 milhões de unidades no primeiro mês

Samsung: 4 factos sobre a gigante sul-coreana em 2013

Veja também: Samsung Galaxy Note 3 e Samsung Galaxy Gear: as nossas primeiras impressões

1) A Samsung vende 1 milhão de dispositivos móveis por dia

Ou mais de 350 milhões dispositivos móveis por ano, numa média que poderá ainda vir a aumentar (mesmo que potenciais sinais de abrandamento sugiram que de uma forma menos frenética). Estes dados foram avançados pelo vice-presidente executivo da empresa e dizem respeito a smartphones, tablets e até aos telemóveis mais convencionais da empresa. Se considerarmos os wearable devices como sendo uma categoria recente, mas potencialmente contabilizável, a expectativa sugere que estes números venham a aumentar.

2) Só em smartphones, a Samsung vendeu no Q3 mais unidades que a Apple, a Nokia e a Blackberry juntas

De acordo com os dados mais recentes da ABI Research, relativos ao terceiro trimestre fiscal de 2013 (Q3), a Samsung conseguiu vender mais smartphones do que a Apple, a Nokia e a Blackberry conseguiriam se tivessem juntado os números de todas as suas unidades vendidas. De facto, a Samsung representou 35% de todos os smartphones vendidos durante este período de tempo, a contar com as propostas de todas as suas concorrentes. A sua popularidade, claro está, encontra-se fortemente associada ao Android, o que nos leva a....

Veja também: Samsung Galaxy S4: mais uma variante descoberta?

Samsung: 4 factos sobre a gigante sul-coreana em 2013

Veja também: Samsung W2014, um Android 'retro' que lhe vai despertar nostalgia

3) Quase todos os lucros em todo o mercado dos smartphones vão apenas para a Samsung e a Apple

Fazer dinheiro a vender smartphones é difícil quando só duas empresas são responsáveis pela esmagadora maioria dos lucros gerados. Neste caso a Apple e a Samsung, embora a gigante sul-coreana já tenha ultrapassado a empresa de Tim Cook para se tornar oficialmente na fabricante de smartphones mais lucrativa de todo o segmento: de acordo com dados divulgados durante o segundo trimestre fiscal deste ano, a Samsung gerou receitas acima dos 5 mil milhões de dólares, contra os 4,2 mil milhões de dólares gerados pela Apple. E se achar estes números elevados, espere só pelos resultados do Q3: a Samsung voltou a bater novos recordes e vendeu mais de 88 milhões de smartphones apenas durante estes três meses, tendo gerado receitas na ordem dos 9,6 mil milhões de dólares durante este período. Isto significa que...

4) A Samsung gera mais dinheiro só com o Android do que toda a sua concorrência unida

O Android é uma plataforma lucrativa, só que todos os lucros estão a ir para a Samsung, que monopoliza este segmento de mercado. E se isto são excelentes notícias para a empresa sul-coreana, são péssimas notícias para as suas concorrentes. A LG, a título de exemplo, só agora está a começar a gerar saldo positivo a vender smartphones Android, mas estes resultados só estão a surgir depois de bastante tempo a investir recursos num segmento que ainda é dominado maioritariamente pela Samsung. As notícias são ainda piores para a HTC, que além das quedas significativas nas vendas ainda está a ter prejuízos. De facto, os  lucros que a empresa gera com o Android são de tal forma astronómicos que até já houve quem tenha colocado a hipótese da empresa poder vir a adquirir a Google.

4,011