NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Pelos caminhos das SMS`s

Pelos caminhos das SMS`s

sexta-feira, 28 março, 2003 /
Todos sabem o que é, como escrever, mandar e receber. Mas afinal, como funcionam as SMS`s? Por onde andam as mensagens depois de sair do terminal emissor? Tudo o que sempre quis saber sobre SMS`s e nunca soube onde procurar. O Telemoveis.com preparou um dossier com particularidades técnicas que tentámos traduzir para linguagem mais corrente e com algumas informações fornecidas pelos operadores. Eis a revelação!

Sabia que, em condições normais, uma mensagem demora cerca de cinco segundos a percorrer o caminho desde o telemóvel emissor até ao receptor? Então note-se o percurso que as SMS`s fazem desde a ordem de envio. Tendo como destino um outro terminal, o apeadeiro seguinte á a estação base (BTS) mais próxima do terminal emissor, que por sua vez faz encaminhar a mensagem para uma estação de controlo, deminada BSC (Base Station Controller), que entra em comunicação com o comutador, designado por MSC (Mobile Switching Center), que por sua vez transfere a informação ao STP (Signalling Transfer Point), que se encarrega de a transmitir ao SMSC (Short Message Service Center), que mais não é do que o centro global de processamento de mensagens de cada operador. É neste ponto que a mensagem já percorreu meio caminho, fazendo de seguida o percurso inverso até chegar à BTS (estação-base) mais próxima do receptor, que se encarrega de a descarregar no terminal receptor. Isto quando são se tratam de mensagens dentro do mesmo operador, agora quando o envio é feito para um subscritor de uma rede diferente, cabe ao SMSC enviar a informação para um GMSC (Gateway MSC) que o trasmite ao congénere da rede de destino, através de ligações dedicadas e directas, e que por sua vez se encarrega de encaminhar a mensagem pelo percurso inverso até ao destinatário. Tudo isto em apenas cinco segundos e exactamente o mesmo percurso que uma chamada de voz faz quando é estabelecida entre dois utilizadores de redes móveis.

Quanto "pesa" uma mensagem?


A única diferença das chamadas de voz para as transferências de dados é que esta última utiliza um protocolo existente no sistema GSM, (Mobile Application Part - MAP) que, através da arquitectura de rede, permite o envio de dados, entre eles um sub-grupo da tabela ASCII, que mais não é do que o conjunto de caracteres disponibilizado para a escrita de mensagens de telemóvel. E para que não haja tentações de escrever mais do que é devido, ficou estipulado que uma mensagem não poderia levar mais do que 160 caracteres - o que se traduz por uns míseros 140 bytes, aos quais se acrescentam mais 30 bytes pelo espaço ocupado pelo cabeçalho -, nascendo então a tão falada linguagem abreviada de SMS, e que tantas dores de cabeça tem dados aos professores de liceu por esse mundo fora. Um "peso" dos leves para qualquer rede, se tivermos em conta que, para os MMS, mensagens multimédias necessariamente mais "pesadas" devido à integração de som, imagens ou animações, o limite estabelecido é de 30kb.

O segredo está na capacidade


Quanto à capacidade de tráfego do sistema, curiosamente, nenhum dos três operadores contactados quis adiantar números. No entanto, o Telemoveis.com conseguiu apurar que o valor varia consoante o dimensionamento que cada uma empresas faz da sua própria rede. Dimensionamento esse que pode ser feito a nível de hardware (up-grade, ou actualização através de reforço, das infra-estruturas existentes) ou atrvés de software, quer a nível central, quer a nível local. Mesmo assim, um SMSC pode debitar entre 500 e 1000 mensagens por segundo. Um intervalo tão grande que é justificado pela capacidade física que cada operaradora define para a arquitectura da sua própria rede. Além disso, o centro de processamento também está dependente das características das BTS`s uma vez que, como se deve calcular, uma estação-base em Marvão não tem a mesma capacidade de débito de qualquer uma que exista na cidade de Lisboa.

Como se contabilizam as mensagens?


Chegada a altura do Natal e da Passagem do Ano, é tempo de cada um dos operadores puxar dos seus galões e mostrar ao mercado o exurbitante números de mensagens que os respectivos centros processam. Mas afinal como são contabilizadas as mensagens? Que SMS`s são incluídas para as contas finais desejadas? Neste capítulo, nada melhor do que citar as respostas de cada um dos operadores:

TMN

A contabilização das SMS é efectuada de diversas formas. Assim, e para efeito de análise e dimensionamento da Rede, é necessário avaliar tanto as SMS enviadas como as recebidas, quer dentro da própria rede TMN quer para e de outras redes. Para efeito de análise de negócio, esta contabilização pode ser segmentada consoante se trate de tráfego gratuito, por operador de destino, por operador de origem, mensagem enviada, mensagem recebida, dentre da própria rede ou fora dela, etc.

VODAFONE

Cerca de 40 por cento da base total de clientes celulares da Telecel utiliza regularmente o serviço de mensagens escritas, e que geraram uma média mensal de 66 SMS nos três últimos trimestres de 2002. Trataram-se de SMS taxadas, o que significa que as mensagens de confirmação de envio ou de aviso de chegada de voice mail não foram contabilizadas neste valor.

OPTIMUS

A Optimus contabiliza apenas as SMS enviadas pelos seus clientes pois acredita ser essa a forma mais correcta de o fazer. Evita a duplicação de contagem e a conatbilização de SMS que não são verdadeiras mensagens, isto é, notificações de Rede, de Voice Mail, geradas automaticamente pelo sistema e não por acção do emissor. Resumindo, a Optimus não contabiliza todas as SMS que passam pelo SMSC, mas somente aquelas que resultam da acção directa e voluntária dos seus clientes.

E depois do adeus


Como será o panorama quando vier o momento em que escrever, só, não vai chegar? Para já, o preço dos terminais multimédia, apesar das suas avançadas características, tem vindo a convencer o mercado de forma muito lenta. Por essa razão, o MMS terá de esperar bem quietinho pela sua vez de brilhar, uma vez que o MMS ainda não «matou» a estrela do SMS. É certo que o grande proveito que as operadoras estão a conseguir do SMS, para além de gozaram da sua massificação, tem a ver com os inúmeros serviços que permitiu associar ao envio e recepção de mensagens em redes móveis. Mas será assim com a versão multimédia? Ou poder-se-á assistir a revolução, também, no conceito da própria mensagem? Cenários à parte, ninguém pode duvidar do poder e do peso que as SMS`s assumem no bolo final das operadoras e, sobretudo por isso mesmo, será um ingrediente aproveitado até à ultima grama.
 

Fig. 1 - Percurso de uma SMS

24,157