NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
O OnePlus 3T é melhor e mais caro, mas não surpreende

O OnePlus 3T é melhor e mais caro, mas não surpreende

sexta, 18 novembro, 2016 /
O OnePlus 3T é melhor e mais caro, mas não surpreende

O OnePlus 3T chega apenas seis meses depois do OnePlus 3.

 

Chame-me antiquado, mas tenho saudades da época em que comprava um produto na expectativa de o manter por alguns anos. É assim (mais ou menos) com as consolas de videojogos, mas não o é com os telemóveis.

Eu percebo; são mercados e categorias de produto diferentes. Mas quando vejo uma empresa lançar um produto em Junho apenas para "actualizá-lo" seis meses depois, não deixo de me perguntar para que serve investir nestes equipamentos se nem a própria marca lhes dá mais de seis meses de vida.

O OnePlus 3T faz-me sentir assim. Com lançamento agendado para 28 de Novembro, traz uma versão do OxygenOS baseada em Android 7.0 Nougat, uma câmara para selfies de 16 MP e uma bateria com mais capacidade. O processador é ligeiramente mais rápido.

Quanto ao OnePlus 3, a empresa decidiu descontinuar as suas vendas na Europa. Resta saber se daqui a seis meses terá um smartphone ainda melhor em mãos. Vai custar 439 euros.

Adiante.

O OnePlus 3T vai estar disponível em duas versões (64 GB / 128 GB) e duas cores (Gunmetal/Soft Gold). O corpo vai ser de alumínio anodizado.

OnePlus 3T

Escusado será dizer que, em termos de processamento, o OnePlus 3T não será menos do que uma besta. O processador Snapdragon 820 Kryo é um quad-core com dois núcleos de alto desempenho para tarefas mais exigentes (2,1 GHz) e dois núcleos mais fracos (1,5 GHz) dedicados a funções mais rotineiras.

A GPU (placa gráfica) é uma Adreno 530, a mesma do OnePlus 3. Quando foi lançada no mercado, esta placa gráfica introduziu novidades que na altura só estavam reservadas a computadores pessoais - como por exemplo, a função de partilha de memória virtual com o CPU, ou a capacidade de processar vídeo mais depressa com consumos energéticos inferiores.

Depois temos os 6 GB de RAM. Se há bem pouco tempo fiz questão de elogiar o BQ Aquaris U Plus e os seus 3 GB de RAM, não consigo imaginar o que 6 GB de RAM farão por este telemóvel. Não consigo mesmo.

Os 6 GB de RAM até poderão parecer redundantes agora, mas depois imagino que daqui a dois, três ou até quatro anos a OnePlus continue a não ter desculpas para não continuar a dar suporte ao OnePlus 3T.

A não ser que o Android evolua para requerer quantidades de RAM superiores a estes 6 GB, parece-me que um investimento neste telemóvel será uma aposta inteligente para quem quiser manter uma boa máquina pelos próximos anos sem se preocupar com o desempenho.

E depois temos o espaço de armazenamento. Com 64 GB de armazenamento como opção de entrada torna-se desnecessário considerar sequer a hipótese de expandir a memória com um microSD. Esta é uma opção que faz sentido entre os 16 GB e os 32 GB, mas a partir dos 64 GB começa a tornar-se redundante.

OnePlus 3T

O ecrã tem 5,5 polegadas, uma medida que considero intermediária nos dias que correm (um telemóvel com 5 polegadas já é considerado compacto).

Achei uma boa opção da OnePlus manter a resolução Full HD (1080 x 1920 píxeis). Além do olho humano não notar diferença a partir desta resolução, oferece consumos mais razoáveis do que um ecrã de resolução superior.

Além disso, sendo AMOLED, significa que vai oferecer excelentes contrastes de cores (tons 100% negros, ao contrário dos ecrãs LCD). A ausência de retro-iluminação também significa que vai buscar menos energia à bateria, já por si bestial, de 3400 mAh.

Somando estas características a um Android Nougat com consumos ainda mais inteligentes, a expectativa dita que o OnePlus 3T tenha uma boa autonomia de bateria. No entanto esta dúvida só poderá ser esclarecida quando o telemóvel sair.

Por último, a câmara: o OnePlus 3T vai manter o sensor Sony IMX 298 (16 MP) do modelo anterior. A lente tem uma abertura f/2.0, ideal para fotografias em condições de baixa luminosidade, e é capaz de gravar vídeos em resolução 4K.

A câmara do OnePlus 3T também é capaz de gravar vídeos em câmara lenta (120 frames por segundo) em alta definição, e suporta ficheiros em formato RAW (nota: se não quiser deitar fora os 64 GB, evite ter muitos ficheiros destes no telemóvel).

 

Estes são os modos que a câmara vai disponibilizar:

 

  • Auto-HDR
  • Dynamic De-noise
  • Controlo Manual
  • HQ

 

A câmara frontal deixou de ter 8 MP para passar a oferecer 16 MP. O sennsor é um Samsung 3P8SP e, a meu ver, é uma resolução que não se justifica nem para videochamadas, quanto mais para selfies.

A câmara frontal oferece focagem fixa, a lente tem uma abertura f/2.0 e permite gravar vídeos em Full HD (1080p). Traz ainda um modo de Smile Capture.

 

Outras características do OnePlus 3T:

 

  • Sensor de impressões digitais
  • Sensor de Hall
  • Acelerómetro
  • Giroscópio
  • Sensor de proximidade
  • Sensor de luz ambiente
  • Bússola eletrónica
  • USB 2.0 (Tipo-C)
  • Ranhura para dual nano-SIM
  • Entrada para auscultadores de 3,5 mm

 

 

613
Comentários
close