NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Merrill Lynch pessimista em relação ao crescimento do mercado das redes

Merrill Lynch pessimista em relação ao crescimento do mercado das redes

sexta-feira, 08 março, 2002 /
Previsões de crescimento revistas em forte baixa. Os operadores vão gastar menos do que os fabricantes esperavam. Entre outras razões, conta-se o pessimismo quanto ao lançamento, sempre adiado, dos serviços de terceira geração, para que a ML invoca quatro grandes razões: o adiamento do investimento em redes na ausência de serviços e aplicações com interesse suficiente para galvanizar o mercado; o atraso no lançamento de terminais capazes de funcionarem em duplo ou triplo modo WCDMA, GSM e ou GPRS, em especial em função de problemas técnicos recorrentes concernentes à migração com sucesso de uma rede para outra; o investimento nas crescente nas tecnologias intermédias, em especial nas tecnologias GPRS e EDGE capazes de fornecerem um nível de satisfação razoável; a sobre-capacitação da indústria com elevado número de players globais que tende a forçar a redução dos preços e o consequente abate da margem de lucro.

A Ericsson, em particular, com uma fatia maioritária do mercado das redes e infra-estruturas deverá, ainda de acordo com a ML, ressentir-se especialmente com a desaceleração do incremento dos seus proventos para uns meros 3 porcento em 2003 (a ML tinha anteriormente previsto 13%).

As previsões de crescimento da ML para os negócios de redes e infra-estruturas da Nokia e da Siemens foram igualmente revistas em baixa, com valores de sete porcento e cinco porcento, respectivamente.

2,817