NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Huawei Mate S. Análise

Huawei Mate S. Análise

quinta-feira, 10 setembro, 2015 /
Huawei Mate S. Análise
Dêem as boas vindas ao Huawei Mate S, com sensor de impressão digital e processador de oito núcleos e muito mais

Huawei Mate S: ECRÃ, DESIGN E ERGONOMIA
 

A Huawei, à semelhança do antecessor Mate 7, optou por equipar o Mate S com um ecrã de resolução Full HD (1080 x 1920p), contudo, incorporando a tecnologia AMOLED para uma imagem mais nítida e brilhante, algo bastante notório no decorrer da utilização do equipamento. A imagem é excelente, com cores densas e um óptimo contraste, denotando-se uma diferença para o seu antecessor. De resto, a Huawei apenas encurtou o ecrã no tamanho: passou de 6” polegadas para 5.5” polegadas, tornando-o ligeiramente mais manobrável que o seu antecessor.

Construído à base de alumínio e vidro, o Huawei Mate S é provido de protecção Gorilla Glass 4, a última geração de ecrãs resistentes a riscos da popular empresa Corning, ao passo que o Ascend Mate 7 beneficia da 3ª geração. O manuseamento do dispositivo é razoável apesar das avultadas dimensões e, a sensação, é indubitavelmente premium. A grande desvantagem neste segmento é mesmo a falta de tecnologia Force Touch, qual a Huawei destacou bastante na sua apresentação e que infelizmente, para nós Europeus, a mesma só será incluída em equipamentos comercializados fora da Europa. Bad, bad Huawei.

Em termos de aparência e design, o Mate S tem na parte superior da frente a câmara secundária de 5 megapíxeis, juntamente com o auscultador e o flash LED frontal, situado no lado oposto. Na traseira do dispositivo situa-se a câmara principal de 13 megapíxeis, em conjunto com o duplo flash LED, juntamente com o sensor de impressões digitais imediatamente por baixo.

Na lateral esquerda situa-se a entrada para cartão nano SIM e microSD, em que, opcionalmente e no lugar do cartão de memória, o utilizador pode colocar outro cartão nano SIM. Relativamente ao lado oposto, a Huawei colocou no Mate S os botões físicos de volume e bloqueio/desbloqueio de ecrã.
Por fim, na extremidade superior encontra-se a entrada para jack 3.5, ao passo que na extremidade inferior está a coluna de som assim como o altifalante
 
Huawei Mate S Frente e Traseira
 
Huawei Mate S Laterais
 
Huawei Mate S Extremidades

Huawei Mate S: CÂMARA
 
O Huawei Mate S manteve a mesma resolução que o Ascend Mate 7 em ambas as câmaras, isto é, 13 mpx para a câmara principal e 5 mpx para a secundária. Em termos de qualidade de imagem não se pode esperar outra coisa que não uma imagem nítida, sólida e com boa qualidade.
 
Dia
 
Analisando a fotografia acima retirda durante o dia e em modo HDR, a câmara do Ascend Mate S comportou-se de acordo com as expectativas. A imagem é bastante clara e com cores e contrastes notórios o que, aliado à resolução Full HD e tecnologia AMOLED do ecrã, oferece ao utilizador uma óptima experiência em termos de visualização.
 
Noite
 
A fotografia retirada à mesma paisagem em ambiente nocturno também não é nada de deitar fora. A câmara demonstrou ser bastante capaz, ao conseguir absorver luminosidade suficiente para que a imagem seja minimamente clara e perceptível, assumindo-se assim como uma câmara com qualidade suficiente para retirar fotografias em condições de pouca luminosidade.
 
Super Noite
 

Ainda a respeito da câmara, testámos um modo incluído também no recentemente apresentado P8, o chamado modo “super-noite” cujas garantias de qualidade por parte da Huawei no que a fotografias nocturnas diz respeito, são asseguradas. E de facto, a Huawei realmente tem alguma razão. A fotografia acima demonstra uma captação de luz superior, relativamente à imagem correspondente à fotografia retirada no modo automático. Apesar do tempo de espera para que a fotografia seja tirada, o mesmo vale sem dúvida nenhuma a pena.


Huawei Mate S: ENTRETENIMENTO
 

De forma a testar o Huawei Mate S no que a entretenimento diz respeito, foram averiguadas três vertentes: navegação na internet, jogabilidade e visualização de vídeos em alta-definição.

Em relação ao primeiro ponto, nada a dizer. A navegação é bastante fluída, mesmo em sites com conteúdos de maior dimensão, o que vem comprovar o excelente trabalho que a gigante chinesa executou tanto a nível de processador como de memória. Já na segunda categoria, o Huawei Mate S também obteve excelentes resultados, ao terem sido testados vários jogos com altas exigências gráficas, entre eles o “Modern Combat 5: Blackout”, um famoso FPS (First Person Shooter) presente em plataformas mobile. O comportamento do Mate S neste capítulo foi exemplar, oferecendo uma excelente qualidade de imagem em conjunto com uma óptima jogabilidade. Mas o melhor foi mesmo a prestação do processador, que não sobreaqueceu mesmo após mais de 15 minutos de jogo seguidos.

Para finalizar testámos a terceira categoria, na qual mais uma vez, o Mate S se comportou lindamente. Os vídeos são reproduzidos com exemplar qualidade, muito devido à qualidade de imagem do ecrã, assim como o som que é virtualmente sem ruídos e bastante audível, o que se verificou como um plus a ter em conta. Uma vez mais, nada a apontar.
Huawei Mate S: PROCESSAMENTO
 

O processador incorporado no Mate S corresponde a um HiSilicon Kirin 935 com oito núcelos (Quad-Core 2.2 GHz + Quad-Core 1.5 GHz), de fabrico próprio da Huawei.

Em termos de funcionalidade geral do equipamento, o mesmo não entravou em absolutamente nada, mantendo toda a sua fluidez, mesmo com vários aplicativos instalados. A transição entre ecrãs é limpa e sem dificuldades, apesar de todas as animações próprias da EMUI (interface gráfica da Huawei).
 
Huawei Mate S AnTuTu

Huawei Mate S: MEMÓRIA
 

Em termos de memória RAM, o Huawei Mate S é dotado de 3 GB, quantidade de memória digna de um topo de gama. Já no que respeita à memória interna, a mesma é de 32 GB.

Com múltiplas aplicações abertas em simultâneo, o Mate S não demonstra quaisquer obstáculos em alternar entre as ditas, denotando-se o poder dos seus 3 GB de RAM. O funcionamento e transição das aplicações é fluído, sem entraves ou bloqueios, permitindo ao utilizador obter uma boa experiência de utilização caso pretenda desempenhar várias tarefas ao mesmo tempo.

A memória interna é a mais comum neste segmento ou seja, 32 GB e, caso não seja suficiente, o utilizador pode sempre fazer uso da entrada microSD para colocar um cartão até 128 GB de memória, que à partida deverá resolver qualquer problema de armazenamento.
Huawei Mate S: CONECTIVIDADE E BATERIA
 

Em relação às opções de conectividade, o Huawei Mate S vem, a par das opções ordinárias como WiFi e Bluetooth, equipado com tecnologia NFC e é 4G LTE, oferecendo ao utilizador todas as opções mais recentes e actuais no que a conectividade diz respeito. O factor diferenciador ed vários equipamentos corresponde mesmo ao sensor de impressão digital situado na traseira do equipamento, que sofreu substanciais melhoras relativamente ao seu antecessor presente no modelo Ascend Mate 7, indo actualmente na versão 2.0.

No que diz respeito à bateria, a mesma vem com uma capacidade na ordem dos 2.700 miliamperes, o que se revelou de certo modo uma desilusão já que o Ascend Mate 7 usufrui de uns portentosos 4.100 mAh, o que lhe permite uma utilização de cerca de dois dias em stand-by. Já do recente Mate S o mesmo não se pode afirmar, sendo que com uma utilização moderada, o mesmo apenas durou cerca de um dia.
Huawei Mate S: CONCLUSÃO
 

Em relação ao seu antecessor, o Huawei Ascend Mate 7, não podemos afirmar que as diferenças sejam muitas. Para além dos típicos upgrades como o processador ou a memória RAM (mesmo assim, existe uma versão do Ascend Mate 7 com 3 GB de RAM), todas as restantes especificações são praticamente idênticas, com excepção do ecrã AMOLED agora presente e a diferença no tamanho do mesmo, que passou das 6” polegadas para as 5.5”, tornando o equipamento mais cómodo.

Assim sendo, as principais características a destacar, para além de todo o desempenho geral que é bastante bom, são mesmo em termos de design e aparência, capítulos nos quais a Huawei realmente desempenhou um excelente trabalho. O Mate S tem uma construção fantástica e uma excelente sensação e experiência de utilização o que, em conjunto com o excelente desempenho e com a presença da última versão do Android (Lollipop 5.1), vem assegurar ao Mate S um lugar no pódio, a par do Samsung Galaxy S6 ou do Apple iPhone 6.

Para finalizar, os pontos negativos são principalmente três: o seu valor que não é para qualquer carteira, a bateria que passou de 4.100 mAh para apenas 2.700 e, por fim, a sensação de que a Huawei não apresentou um equipamento totalmente novo, mas sim uma segunda versão do modelo Ascend Mate 7, mas sob o efeito de esteroides.
 
PREÇO: Huawei Mate S - 699.99€

Prós

- Excelente desempenho.
- Design e construção.
- Modo “super-noite” para fotografias nocturnas.
- Dual SIM.
- Ecrã de óptima qualidade.
 

Contras

- Capacidade da bateria.
- Preço avultado.
- Sem tecnologia Force Touch na Europa.

Siga-nos no Instagram!

7,224