NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Huawei Ascend Mate 7. Entre o tablet e o smartphone

Huawei Ascend Mate 7. Entre o tablet e o smartphone

segunda, 08 setembro, 2014 /
Huawei Ascend Mate 7. Entre o tablet e o smartphone

A nova proposta da Huawei foi introduzida na IFA Berlim 2014 e alia especificações técnicas competitivas a um design ultra-fino

Huawei Ascend Mate 7. Entre o tablet e o smartphone

*Artigo publicado originalmente no iOnline

A apresentação do Ascend Mate 7 na capital alemã foi conduzida por Richard Yu, CEO da Huawei, que descreve este novo aparelho como sendo a experiência "mais rápida e convincente" que a empresa lançou até à data no mercado dos smartphones com ecrãs de grandes proporções.

O motivo, justificou o próprio, está na aposta que a empresa fez nos consumos de energia eficientes, numa experiência de utilização "conveniente para o utilizador" e no próprio leitor de impressões digitais, que suporta até cinco registos distintos de impressões digitais, que consegue ler inclusive à chuva.

Em termos puramente técnicos o Ascend Mate 7 é um topo-de-gama equipado com um ecrã Full HD de 6 polegadas (1080 x 1920 píxeis), uma bateria de 4100 mAh e um processador composto por uma combinação de quatro grandes núcleos A15 (1,8 GHz) com quatro núcleos A7 mais pequenos, de 1,3 GHz.

Esta arquitectura, segundo a Huawei, permite uma gestão mais eficiente dos consumos de energia do Mate 7, que consegue poupar até 50% da sua bateria ao reservar os núcleos A7 para as aplicações mais utilizadas. Os núcleos A15, por sua vez, estão reservados para tarefas que exijam um desempenho mais elevado, tais como jogos ou consumo de conteúdos em alta definição. Em caso de necessidade o processador do Huawei Ascend Mate 7 também é capaz de activar automaticamente núcleos adicionais.

O 'phablet' da Huawei tem ainda duas câmaras digitais: uma tem 13 MP, está localizada nas costas do Mate 7 e inclui um sensor BSI de quarta geração da Sony, enquanto que a câmara frontal - dedicada às famosas 'selfies' - apresenta 5 MP.

Huawei Ascend Mate 7. Entre o tablet e o smartphone

EMUI 3.0

O Ascend Mate 7 corre um Android KitKat personalizado com a nova interface da empresa, EMUI 3.0. A estética está em linha com o novo look do sistema operativo da Google e inclui novidades que permitem operar os aparelhos da empresa de uma forma mais rápida e intuitiva do que antes.

A grande novidade no EMUI 3.0 é a interface 'timeline', ou linha cronológica, que torna a experiência de utilização mais consistente ao disponibilizar um acesso rápido às diferentes funcionalidades de uma única aplicação - um dos exemplos desta convergência está na própria aplicação de contactos do Mate 7, que combina chamadas telefónicas e mensagens de texto numa única aplicação. Para aceder a estas funcionalidades dentro de uma aplicação o utilizador só tem que fazer um gesto 'swipe'  - um leve arrastamento - com o dedo.

Disponibilidade

O Huawei Ascend Mate 7 vai estar disponível em duas variantes: a primeira é a mais acessível, com um preço recomendado de 499 euros, e tem 2 GB de RAM e 16 GB de espaço de armazenamento. A segunda variante é mais 'premium', tem um preço recomendado de 599 euros e apresenta 3 GB de RAM e 32 GB de espaço de armazenamento. A sua chegada ao mercado está agendada para o final de Outubro e irá incluir Portugal.

A Huawei também irá disponibilizar alguns acessórios para complementar o Mate 7, o que irá incluir capas de protecção (de cabedal), bem como auscultadores com cancelamento de ruído activo.

Huawei Ascend Mate 7. Entre o tablet e o smartphone

7,876

Colaborações

MindShaker

O que saber sobre desbloquear o telemóvel?

Por MindShaker | 17 julho 2018

THERENT.ZONE

HTC Vive vs Oculus Rift: qual o melhor equipamento de realidade virtual?

Por THERENT.ZONE | 21 março 2018

eMenuk

Sistema de Menu Digital Para Restaurantes

Por eMenuk | 15 março 2017

Surf Map Portugal

Tecnologia no Surf

Por Surf Map Portugal | 07 março 2017

Colunistas

Lauro Lopes

Google Pixel 3 XL análise

Por Lauro Lopes | 06 fevereiro 2019