NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Google vai apostar em loja online para vender módulos para smartphones

Google vai apostar em loja online para vender módulos para smartphones

domingo, 02 novembro, 2014 /
Google vai apostar em loja online para vender módulos para smartphones

Os primeiros smartphones modulares da Google chegam já em 2015. A empresa pretende apostar numa loja estruturada de forma comparável à Google Play, mas dedicada a hardware

*Artigo publicado originalmente no iOnline

À semelhança da Google Play, com o Project Ara os utilizadores também poderão adquirir módulos através de uma loja online que irá disponibilizar análises e pontuações aos produtos comercializados. A primeira loja-piloto do projecto irá arrancar já em 2015 e servirá para a Google testar o seu funcionamento.

Isto também significa que um lançamento mundial desta loja poderá levar ainda algum tempo. Segundo Paul Eremenko, responsável pelo Project Ara da divisão ATAP (Advanced Technology and Projects) da Google, “qualquer um pode criar um módulo de acordo com as especificações do kit de programadores e colocá-lo no mercado de módulos Ara, que é análogo à loja Google Play, e vendê-lo directamente aos consumidores”.

Utilize só o que precisa

Conhecido por Project Ara, o projecto iniciado pela Motorola e detido actualmente pela Google irá tornar-se uma realidade já no próximo ano, com a chegada dos primeiros smartphones personalizáveis ao mercado. O projecto implica que os utilizadores personalizem os seus smartphones ao seu próprio gosto, não apenas esteticamente mas também em termos de hardware e funcionalidades.

Tudo indica que estes aparelhos personalizáveis poderão ser adquiridos em diferentes modalidades, com a mais básica a começar nos 50 dólares - o que irá consistir numa ‘moldura’ básica, na qual os utilizadores poderão acrescentar (ou remover) posteriormente funcionalidades através de componentes modulares.

Através deste conceito será possível, por exemplo, trocar componentes do telefone como o ecrã, a câmara digital ou até o seu processador, para obter um desempenho mais ao gosto do utilizador. Isto permitiria obter apenas as componentes necessárias e descartaria a necessidade de comprar um novo smartphone.

2,838