NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Botão de "auto-destruição" em smartphones poderá ser obrigatório por lei, nos EUA

Botão de "auto-destruição" em smartphones poderá ser obrigatório por lei, nos EUA

sexta-feira, 20 dezembro, 2013 /
Botão de "auto-destruição" em smartphones poderá ser obrigatório por lei, nos EUA

A intenção de poder "destruir", ou melhor, inviabilizar smartphones remotamente já não é uma novidade nos EUA, mas desta vez a pressão poderá aumentar caso seja aprovada uma nova legislação no estado da Califórnia

Veja também: Sony lança pen USB para smartphones e tablets

A nova lei foi apresentada por Mark Leno, um senador norte-americano que exige que todos os smartphones sejam obrigatoriamente equipados com tecnologia anti-roubo que inviabilize aparelhos roubados, tornando-os inúteis e desencorajando assim os roubos.

Caso seja aprovada, esta lei pode ainda extender-se aos restantes estados norte-americanos. Segundo avançou a Motherboard.com, existe igualmente uma coalição que junta polícias, políticos e consumidores activistas que tem vindo a exercer pressão para que sejam as fabricantes de smartphones a incluir esta tecnologia nos seus equipamentos. O grupo é liderado pelos delegados distritais de Nova Iorque e São Francisco.

Exemplos como a Activation Lock da Apple, ou a proposta da Samsung em pré-instalar nos seus dispositivos aplicações como a LoJack, que permite bloquear os smartphones remotamente, têm sido vistas positivamente pelos defensores desta proposta, mas encontra forte oposição nos operadores de telecomunicações, que se recusam a vender smartphones equipados com estas funcionalidades.

"A Samsung está a levar o problema a sério, mas os operadores não", afirmou George Gascón, delegado distrital de São Francisco, em declarações à MotherBoard. "Ao continuarem a rejeitar uma solução tecnológica, os operadores wireless estão a sujeitar milhões de clientes seus a esta epidemia de roubos violentos". Segundo os operadores de telecomunicações, esta tecnologia não impede que os criminosos consigam contornar estas defesas, embora Gascón acredite que a verdadeira preocupação dos operadores esteja na perda das centenas de milhões de dólares gerados anualmente em seguros contra roubos, além da perda do dinheiro gasto pelos clientes na reposição dos seus telefones roubados.

Aproximadamente um em cada três roubos nos EUA envolve telefones. Só em 2012 foram roubados 1,6 milhões de telemóveis, num tipo de crime que tem apresentado tendência para se tornar mais violento. Algumas soluções previstas pelas autoridades norte-americanas implicam a criação de uma base de dados para telemóveis roubados, que seriam colocados em listas negras para impossibilitar a sua activação.

Veja também: Qualcomm Snapdragon 410, 64-bits para smartphones de baixa gama

Botão de "auto-destruição" em smartphones poderá ser obrigatório por lei, nos EUA

4,026