NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Apple iPhone: vendas a estagnar, analistas temem declínio

Apple iPhone: vendas a estagnar, analistas temem declínio

sexta-feira, 09 novembro, 2012 /
Apple iPhone: vendas a estagnar, analistas temem declínio

Apple iPhone 5 bateu recordes de vendas, mas números não impressionaram investidores, que temem estagnação nas vendas do Apple iPhone.

A Apple está a passar por uma fase difícil: após uma queda de 20% no valor de mercado das suas acções, que se traduziu em aproximadamente 130 mil milhões de dólares, as vendas do iPhone - o produto de maior sucesso da fabricante da maçã - parecem estar a revelar tendência para estagnarem, o que levou alguns analistas a concluírem que a Apple terá atingido o seu culminar.

Apple iPhone: vendas a estagnar, analistas temem declínio

Declínio ou não, a verdade é que pelo menos parte da razão está relacionada com as preocupações dos seus maiores investidores, embora também haja indícios de que a performance da empresa poderá não estar a corresponder às elevadas expectativas de Wall Street. A título de exemplo, a Apple bateu recentemente um novo recorde ao vender 5 milhões de iPhones 5 nos seus primeiros três dias após o seu lançamento - números que, por mais que impressionem, se situavam abaixo das previsões astronómicas de alguns analistas.

Outro exemplo está nos lucros astronómicos registados pela fabricante da maçã - 8.2 mil milhões de dólares no último trimestre fiscal, mas que também se situaram abaixo das previsões dos seus principais investidores. Mais recentemente ainda, com o lançamento do Apple iPad mini e do iPad 4, que ao todo venderam mais de 3 milhões de unidades, os números voltaram a ser inferiores aos que as especulações iniciais apontavam.

Apple iPhone: vendas a estagnar, analistas temem declínio

Por outro lado, apesar do medo dos investidores ser meramente especulativo, existe a real possibilidade de que a Apple não consiga continuar com o ritmo de crescimento que manteve nos anos anteriores, embora por enquanto seja impossível afirmá-lo com precisão.

Eric Jackson, fundador da Ironfire Capital, recentemente concedeu uma entrevista à Forbes onde explica por que razões alguns dos medos dos seus investidores são infundados. O analista cita vários situações de quebra - oito, para sermos precisos - que ocorreram ao longo dos últimos anos, apenas para serem seguidas de períodos de crescimento ainda mais astronómicos. Um dos mais recentes, por exemplo, viu as acções da fabricante da maçã caírem 15% - passando de um valor de $425 por acção para $360, apenas para ultrapassarem o valor histórico de $700 por acção em Setembro deste ano.

Apple iPhone: vendas a estagnar, analistas temem declínio

O crescimento da Apple está prestes a sofrer um abrandamento massivo comparado com as tendências históricas e, de facto, pode realmente estangar, refere. Como tal, as acções irão contrair. Discorda, contudo, da hipótese de que o crescimento da Apple está em risco.

Sim, o iPhone é a base para a valorização da Apple porque é o produto mais importante e lucrativo. explica. Mas a Apple se vai limitar a vender 25 milhões de iPhones por trimestre. Daqui a uns dois anos espero vê-la a vender cerca de 100 milhões de iPhones por trimestre.

Em termos comparativos a Samsung já se encontra a vender números semelhantes de smartphones, mas também de telefones mais tradicionais - segmento que ainda continua a ser significativo no mercado global. A quota global de mercado da Apple ainda é de "apenas" 15%.

As expectativas, contudo, referem ainda haver potencial para mais inovação. O que acham os leitores? Concordam que a Apple está a mostrar uma certa inclinação para a estagnação? Ou acham que a fabricante da maçã ainda tem muito para dar que falar? Deixem-nos o vosso feedback!

3,956