NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Adeus BlackBerry Classic. O triunfo do touch sobre o teclado físico

Adeus BlackBerry Classic. O triunfo do touch sobre o teclado físico

quarta-feira, 06 julho, 2016 /
Adeus BlackBerry Classic. O triunfo do touch sobre o teclado físico

A BlackBerry diz adeus ao Classic e, aos poucos, aos teclados físicos.

 

Imagem: Vic/Flickr

Tardou, mas aconteceu. E era inevitável. A BlackBerry abandonou o Classic e, aos poucos, os teclados físicos dos seus telemóveis.

O que quer isto dizer?

 

Em primeiro lugar, que a BlackBerry finalmente percebeu que não pode contrariar todo um mercado.

Apesar dos teclados físicos da empresa serem reconhecidos pela sua grande qualidade, deixaram de ser atraentes para toda uma geração que cresceu habituada a teclados digitais e ecrãs touch (que também estarão entre os futuros executivos, um nicho onde a BlackBerry sempre quis estar presente).

Em segundo lugar, que não é a ser teimosa que vai ser bem sucedida. Antes, que é a saber aceitar a situação para assim a poder gerir a seu favor. Agora estão criadas condições para a BlackBerry ir atrás de novas oportunidades e cativar novas audiências.

 

Não que esta tenha sido uma decisão fácil para a empresa. Segundo a postagem de Ralph Pini, diretor de operações e responsável pela divisão de dispositivos da BlackBerry, no blog da empresa, tudo indica que não o foi:

"Quando aceitei o cargo para General Manager da divisão de Dispositivos, eu referi três elementos críticos para o sucesso da nossa unidade de negócios", explicou. "O primeiro era oferecer mais opções aos clientes. O segundo era aproveitar a nossa experiência sem rival e as nossas competências em segurança. O terceiro era fazer tudo sobre o pedigree da BlackBerry".

BlackBerry Classic.

 

Deixe-me resumir-lhe isto: numa altura em que a BlackBerry precisava de mudar de direção, a empresa optou por tentar novamente a fórmula que a levou à posição atual. É isto que Ralph Pini está a reconhecer na postagem atual.

Não que fosse uma má decisão por parte da empresa querer aproveitar tudo aquilo que fez dela bem-sucedida no passado. O problema foi que simplesmente não teve capacidade de corresponder as suas metas à realidade do mercado.

 

Mas isso agora pode mudar.

Para quem utiliza smartphones com BlackBerry 10, as boas notícias são que a empresa vai continuar a suportar o seu sistema operativo com atualizações (há uma prometida já para o próximo mês; a seguinte só chega em 2017). Mas se os consumidores aprenderam alguma coisa com a Microsoft, vão saber que estas promessas de atualizações de software querem dizer algo como "saia do barco enquanto puder".

O fim de uma era, mas o (potencial) início de outra - a empresa ainda tem o Android.

--

E porque não? Aproveite, passe pelos nossos Usados e veja o que os nossos anunciantes têm na manga. Compre/venda o seu telemóvel no sítio certo.

--

telemoveis com banner

5,659