NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
SPP quer “Travar o Tabagismo” com recurso a e-learning

SPP quer “Travar o Tabagismo” com recurso a e-learning

quinta-feira, 04 dezembro, 2014 /
SPP quer “Travar o Tabagismo” com recurso a e-learning

No âmbito da iniciativa “Travar o Tabagismo”, a Sociedade Portuguesa de Pneumologia vai promover uma acção de formação digital, aberta a todos os profissionais de saúde

*Artigo publicado também no iOnline


As inscrições para o 1º curso de e-learning da Escola de Pneumologia estão abertas até ao dia 15 de Janeiro. O primeiro módulo será lançado já no dia 2 do mesmo mês. Mais informações aqui.

Apesar da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) reconhecer que em Portugal o tabagismo se mantém abaixo da média europeia, os dados que divulgou esta semana em comunicado de imprensa também sugerem que cada vez há menos portugueses a procurar apoio para deixar de fumar.

De acordo com a SPP, o número de consultas de cessação tabágica a funcionar tem vindo a sofrer reduções: enquanto que em 2009 foram registadas 223, mais recentemente (2013) esse número desceu para 116. Uma tendência que a SPP espera inverter através da formação de novos profissionais que se dediquem a intervir nesta área.


« É fundamental tratar a dependência tabágica de uma forma multidisciplinar. Deixar de fumar é processo que envolve inúmeras áreas da saúde, passando pela pneumologia, psicologia até à nutrição », nota Ana Figueiredo, Coordenadora da Comissão de Tabagismo da SPP.

« É necessário questionar todos os fumadores quanto aos seus hábitos tabágicos e mobilizar as várias classes profissionais de saúde e educação para um trabalho baseado na motivação e orientação dos fumadores para as consultas de cessação tabágica », acrescenta.

Carlos Robalo Cordeiro, Presidente da SPP, também comenta: « é através destes cursos e da Escola de Pneumologia que procuramos dinamizar a aprendizagem em áreas cognitivas e promover a aquisição de capacidades e competências técnicas, com a finalidade de melhorar o exercício profissional e a qualidade de prestação de cuidados na área respiratória ».


3,277