NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Portugueses querem deslocações casa-emprego mais produtivas

Portugueses querem deslocações casa-emprego mais produtivas

quinta-feira, 25 dezembro, 2014 /
Portugueses querem deslocações casa-emprego mais produtivas

Por ano são gastas 180 horas em deslocações, ou o equivalente a 7 dias completos dedicados a este trajecto

 

*Artigo publicado também no iOnline


As conclusões são de um estudo encomendado pela Samsung, que abordou os hábitos de consumo dos europeus durante os seus trajectos de e para o emprego.

Dentro da média europeia os portugueses encontram-se em 4º lugar como o povo que menos tempo gasta nestas deslocações, atrás apenas da Roménia, Alemanha e Reino Unido. A média europeia é de pouco menos de 45 minutos por viagem, ao passo que a média portuguesa é de 42 minutos para cada deslocação.

Dentro do universo de inquiridos portugueses abordados pela Samsung, 61% concorda ainda que o acesso a conteúdos interessantes poderia dar um novo ímpeto às suas deslocações, tornando-as mais interessantes.


De facto, e dos mais de 40% de passageiros pendulares que recorre diariamente a transportes públicos para as suas deslocações diárias, 54% admitem procurar formas de transformar este tempo em algo produtivo, que ofereça "bastante acção e entretenimento e que permita quebrar o ciclo de tédio e os ajude a sentirem-se motivados para a viagem", de acordo com o estudo.

Uma percentagem elevada (67%) dos inquiridos admite conduzir regularmente, contra 61% da média europeia. No entanto, o estudo da Samsung reconhece que os transportes públicos permanecem uma necessidade - 13% dos portugueses deslocam-se de comboio, 9% de metro e 18% de autocarro.

Quanto às formas de entretenimento mais comuns entre os portugueses, ouvir música situa-se no topo das preferências de 79% dos inquiridos, superando inclusive os outros países europeus.


Mas nem só de tempo bem gasto são feitas as deslocações entre o lar e o trabalho. O mesmo estudo atenta para a percentagem de utentes que se dedica apenas à observação de outras pessoas (23%) durante a viagem, havendo inclusive espaço para quem não faça rigorosamente nada até chegar ao destino (10%).

« Portugal mostra efectivamente ser um país tecnologicamente avançado e aqui vemos uma grande diferença quando 18% dos inquiridos utiliza o seu tablet nas suas deslocações. Hoje, e mais do que nunca, os trabalhadores pendulares podem maximizar os sete dias que gastam por ano na deslocação de e para o trabalho, graças às tecnologias cada vez mais avançadas e que oferecem conteúdos cada vez mais interessantes », comenta Tiago Flores, director de marketing de produto na Samsung Portugal.

O entretenimento proporcionado pelas novas tecnologias também permite desviar as atenções do lado menos bom destas jornadas, o que inclui os atrasos nos transportes (que incomoda 25% dos inquiridos), a música alta ouvida pelos outros passageiros (20%) e utentes que falam num tom de voz mais elevado (16%).


Tempos de Deslocação Médios

Em toda a Europa, o Reino Unido é o território que regista as viagens mais rápidas. Do lado oposto situam-se os Belgas, com as viagens mais demoradas do universo de estudo da Samsung.

• Bélgica - 52,80 minutos
• Itália - 51,89 minutos
• Espanha - 51,63 minutos
• Grécia - 49,40 minutos
• Áustria - 47,51 minutos
• Holanda - 42,50 minutos
• Suíça - 42,36 minutos
• Polónia - 41,80 minutos
• Portugal - 41,80 minutos
• Roménia - 41,36 minutos
• Alemanha - 39,62 minutos
• Reino Unido - 36,88 minutos


Os belgas e os italianos são os maiores fãs das viagens de comboio de e para o trabalho (23%), enquanto que os polacos preferem usar o autocarro (37%).

« Com mais de 150 milhões de europeus a deslocarem-se diariamente entre casa e o trabalho, o número acumulado de 'dias perdidos' rapidamente atinge anos de tempo perdido - se tivéssemos de contabilizar todo esse tempo de deslocação desperdiçado na Europa, seria necessário recuarmos 13 mil anos », acrescentou Tiago Flores em comunicado de imprensa.


3,256