NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Facebook pede desculpa

Facebook pede desculpa

segunda-feira, 29 dezembro, 2014 /
Facebook pede desculpa

A recente funcionalidade que compilou vários momentos do ano dos utilizadores sofreu algumas queixas. Leia o porquê.



A intenção ninguém discute, não há dúvida alguma de que é boa. Contudo, reviver todas as principais memórias que constituiram um ano inteiro, nem sempre é necessariamente positivo. 

Vários utilizadores do Facebook queixaram-se da aplicação que compila os momentos mais marcantes no decorrer de 2014 e que foram postados na rede social, pois a aplicação não discrimina os momentos bons dos maus. 

Mais precisamente, utilizadores que tenham postado conteúdos que por exemplo, fizessem homenagem a algum familiar que tivesse falecido recentemente, viram esses mesmos conteúdos a serem adicionados à aplicação, forçando os utilizadores a reviver esses momentos mais dramáticos no decorrer da visualização da compilação. 

Tudo começou com um utilizador de seu nome Eric Meyer, um escritor e web designer que criticou duramente a aplicação após ter sido confrontado com uma fotografia da filha, que faleceu no decorrer do ano devido a um tumor cerebral. 

Após as críticas tecidas, Jonathan Gheller (gestor desta aplicação e que também criou a visualização dos perfis em modo de cronologia) pediu desculpas pelo sucedido.


"A aplicação foi espectacular para muitas pessoas, mas claramente que neste caso provocamos mais mágoa do que alegria. A equipa que produziu a aplicação está a considerar formas de a melhorar e, nesse sentido, terá em conta o testemunho de Meyer".


É expectável que o algorítmo da aplicação seja mudado de forma a que casos destes à partida não voltem a suceder.

Não deixa de ser importante contudo realçar o objectivo primordial da aplicação, que apesar da existência de algumas destas situações, não deixa de ser uma excelente iniciativa por parte da empresa de Mark Zuckerberg. 

Fonte: gadgets.ndtv


4,589