NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Créditos Pessoais. O que são?

Créditos Pessoais. O que são?

terça-feira, 29 março, 2016 /
Créditos Pessoais. O que são?

Tudo o que deve saber sobre créditos pessoais a particulares

Credijet-01

Mecenas: CREDIJET

 

Crédito pessoal?

Empréstimo pessoal?

Essencialmente são ambos a mesma coisa.

 

#9. O que é um crédito ou um empréstimo pessoal?

 

Um crédito ou um empréstimo pessoal é um serviço de financiamento.

É pessoal porque serve para comprar bens de consumo, entre outros produtos (incluindo imóveis).

 

#8. Como ser elegível para um crédito ou empréstimo pessoal?

 

Ser elegível requer a garantia de que pagará de volta o dinheiro emprestado.

O pagamento deve ser feito dentro de um prazo definido com a instituição bancária (os períodos podem variar entre 24 e 72 meses).

Antes de conceder um crédito pessoal a particulares a instituição financeira deve verificar o perfil do cliente.

Também há bancos que oferecem limites pré-aprovados de crédito, para empréstimos aos clientes.

 

#7. O que fazer antes de pedir um crédito ou empréstimo pessoal?

 

Passo #1: faça uma simulação de crédito para saber quanto teria de pagar de juros.

Isto é importante para garantir que não terá de pagar juros demasiado elevados para o seu orçamento.

 

#6. O que acontece se falhar um pagamento?

 

As consequências podem ser negativas.

Para evitar estes cenários o banco poderá requerer um fiador que cubra os valores que não conseguir pagar.

 

As coisas não correram como esperava?

Se passar a ser devedor o banco poderá avançar de outras formas.

Por exemplo: se tiver pedido um empréstimo para comprar uma casa, o banco poderá decidir penhorá-la.

 

#5. Quais são as regras para pedir um crédito pessoal?

 

Existem normas a seguir, tanto por clientes como por instituições financeiras.

Uma dessas normas implica a criação de taxas máximas.

Estes limites impedem que as instituições financeiras concedam empréstimos a particulares que ultrapassem os valores máximos em vigor.

 

Estas taxas são conhecidas por TAEG (taxas anuais de encargos efetivos globais).

Estas taxas também são definidas consoante o propósito do crédito.

E o que quer isto dizer?

 

#4. Não tem de dizer para que quer o dinheiro. Mas ajuda.

 

O banco não tem de saber para que quer o empréstimo.

Só que, se não souber, nada lhe garante que as taxas TAEG não sejam mais elevadas.

Ou seja: ser claro em relação à finalidade do crédito traz-lhe benefícios.

 

As taxas em créditos que sejam para pagar estudos ou despesas de saúde, por exemplo, terão taxas máximas diferentes das de empréstimos que sirvam para pagar férias.

Estas taxas são fixadas trimestralmente e divulgadas no Portal do Cliente Bancário.

São aplicáveis aos contratos celebrados naqueles trimestres.

 

É possível (e recomendado) usar as TAEG para comparar alternativas de crédito semelhantes (em relação a prazos e valores).

As instituições também lhe podem pedir que comprove que usou o dinheiro para a finalidade contratada.

 

O regime do crédito aos consumidores, ao qual o crédito pessoal se insere, atribui ao cliente bancário um conjunto de direitos à informação antes e no momento da celebração do contrato de crédito. Este regime abrange empréstimos de montantes entre 200 e 75 000 euros, concedidos a pessoas singulares, que não estejam a atuar no âmbito da sua atividade comercial ou profissional” (TodosContam.pt)

 

#3. Há várias modalidades de crédito ou empréstimo pessoal.

 

  1. Crédito Pessoal para financiamento de equipamentos domésticos, educação, saúde ou outros.
  2. Crédito Automóvel para aquisição de um veículo através de locação financeira (lesing), com reserva de propriedade ou outro.
  3. Cartão de Crédito com limite máximo de crédito atribuído (plafond). Pode ser usado de forma flexível e reutilizado conforme vai sendo pago.
  4. Facilidade de descoberto para movimentação da conta de depósito à ordem (para além do respetivo saldo). Tem um limite máximo atribuído.

 

#2. Saiba o que é a FIN (a melhor amiga dos créditos pessoais particulares).

 

FIN = Ficha de Informação Normalizada

Isto é o que faz por si:

 

  1. Identifica a instituição de crédito.
  2. Contém a duração do empréstimo.
  3. Diz-lhe o montante do crédito.
  4. Dá-lhe o valor das prestações.
       4.1. Ou a modalidade de pagamento (para cartões de crédito).
  5. Explicita as garantias (ex: seguros, fiador, reserva de propriedade, etc)
  6. Identifica os custos do crédito:
        6.1. Taxa de Juro Anual (TAN)
        6.2 Regime da taxa de juro (fixa ou variável)
        6.3 TAEG
        6.4 Comissões iniciais, durante o contrato e em caso de amoritzação antecipada
        6.5 Custos caso falhe os pagamentos

 

#1. Recomendações a ter em conta antes de contrair um empréstimo pessoal.

 

  1. Saiba tudo sobre o crédito que vai contrair.
  2. Guarde sempre um exemplar da FIN.
  3. Esclareça todas as suas dúvidas antes de avançar.
  4. Saiba todos os encargos que terá de assumir com o empréstimo.
  5. Pode desistir nos primeiros 14 dias de calendário (após a assinatura do contrato)
        5.1 Não é obrigado a indicar os motivos da sua desistência
        5.2 Se desistir tem 30 dias para devolver o montante e pagar os juros corridos.
  6. Pode amortizar todo o contrato antecipadamente.
  7. Saiba quanto lhe vai custar a prestação do crédito pessoal todos os meses.
  8. Compare sempre com outras opções de crédito.
  9. Evite falhar pagamentos.
  10. Tente pagar tudo tão antecipadamente quanto possível.

 

Mecenas:

CREDIJET

---

Credijet-01

---

Nas próximas semanas a Credijet vai ser Mecenas de uma série de artigos sobre finanças, créditos e aplicações financeiras.

Faça sua simulação de Crédito Consolidado, Pessoal ou Responsável através da Credijet.

 ---

2,893