NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo

Huawei usa o poder da IA para finalizar a "Unfinished Symphony" de Schubert

quinta, 07 fevereiro, 2019 /
Huawei usa o poder da IA para finalizar a "Unfinished Symphony" de Schubert

The Rent Zone - Aluguer de Dispositivos Tecnológicos

Versão única do Sinfonia No. 8, de Schubert, com apresentação ao vivo em Londres.

 

A Huawei juntou, pela primeira vez, o poder da Inteligência Artificial (IA) com a perícia humana, para compor os dois últimos movimentos da famosa Sinfonia nº 8 de Schubert.

Conhecida como "Unfinished Symphony", permaneceu incompleta durante 197 anos e, apesar de inúmeras tentativas, continua a ser uma das peças mais intrigantes entre a música clássica inacabada de todos os tempos.

A versão completa Huawei da Sinfonia nº 8 da Schubert foi criada através da execução de um modelo de Inteligência Artificial que beneficia diretamente o poder de processamento do dual NPU (Neural Processing Unit) do smartphone Huawei Mate20 Pro – desenvolvido especificamente para tarefas baseadas em IA.

Analisando o timbre, o tom e as métricas dos primeiros e segundos movimentos existentes da sinfonia, o modelo de IA gerou a melodia para os movimentos finais e ausentes, correspondentes aos terceiros e quartos movimentos. A Huawei trabalhou neste projeto com o compositor vencedor do Emmy, Lucas Cantor, de forma a organizar uma partitura da melodia fiel ao estilo da Sinfonia nº 8 de Schubert.

 

“Na Huawei procuramos sempre formas de a tecnologia poder tornar o mundo num lugar melhor. Por isso, ensinámos o nosso smartphone Mate20 Pro a analisar uma peça inacabada com quase 200 anos e a finalizá-la ao estilo do seu compositor original”, explica Walter Ji, Presidente da CBG Huawei Western Europe, acrescentando que “usámos o poder da IA para alargar os limites do que é humanamente possível e ver o papel positivo que a tecnologia pode ter na cultura moderna. Se o nosso smartphone for suficientemente inteligente para fazer isso, o que mais será possível?”

Lucas Cantor, compositor que em parceira com a Huawei terminou Sinfonia nº 8 de Schubert, explica que “o meu papel foi retirar as boas ideias da IA e preencher as lacunas de forma a garantir que o resultado final estivesse pronto para ser tocado por uma orquestra. O resultado desta colaboração com a IA prova que a tecnologia oferece possibilidades incríveis e o impacto significativo e positivo que ela pode ter na cultura moderna”.

A peça final, concluída pela Huawei, foi apresentada ao vivo no icónico Cadogan Hall, em Londres, na segunda-feira, dia 4 de fevereiro.

A Sinfonia nº 8 em Si menor, de Schubert, é considerada a arquetípica "Unfinished Symphony". Os musicólogos ainda estão em desacordo sobre o motivo pelo qual Schubert não conseguiu completar a peça, alguns citam sua saúde debilitada, outros afirmam que ele se distraiu com o trabalho que tinha em curso, mas o que é consensual é que ele estava a traçar um novo terreno musical com esta peça.

 

352

Autores

Colaborações

MindShaker

O que saber sobre desbloquear o telemóvel?

Por MindShaker | 17 julho 2018

THERENT.ZONE

HTC Vive vs Oculus Rift: qual o melhor equipamento de realidade virtual?

Por THERENT.ZONE | 21 março 2018

eMenuk

Sistema de Menu Digital Para Restaurantes

Por eMenuk | 15 março 2017

Surf Map Portugal

Tecnologia no Surf

Por Surf Map Portugal | 07 março 2017

Colunistas

Lauro Lopes

Google Pixel 3 XL análise

Por Lauro Lopes | 06 fevereiro 2019